Nota do Mês - Fevereiro 2009

Discussão de temas relacionados com notafilia

Moderadores: VMNV, José Duarte, Moderador de Honra

Mensagem
Autor
Avatar do Utilizador
Tiago6
Reinado D.Afonso II
Mensagens: 2323
Registado: sábado nov 06, 2004 10:42 pm
Localização: Funchal

Nota do Mês - Fevereiro 2009

#1 Mensagem por Tiago6 » segunda fev 02, 2009 1:41 am

Para o mês de Fevereiro vamos dar destaque a todas as personalidades espalhadas pelos nossos albuns de Notafilia! "Personalidades" é o tema de Fevereiro.
A acompanhar a nota seria interessante uma pequena apresentação da personalidade.

Aqui ficam as regras do concurso:

1ª Os foristas interessados em concorrer à eleição da Nota do Mês, só podem colocar uma nota, respeitando o tema mensal até ao dia 21 - 24:00h desse mês, a partir daqui o tópico é considerado encerrado passando à fase de eleição por todos os foristas que assim o entenderem, que terminará às 24 horas do último dia do mês.

2ª O número mínimo necessário para se realizar e eleição é de 9 (nove) notas. Caso esse número não seja atingido no prazo estipulado, esse será alargado por mais 48 horas, ou seja até às 24 horas do dia 23.
Se mesmo assim não for atingido o mínimo, a eleição ficará sem efeito.

3ª A colocação da nota, consiste só unicamente de uma foto de cada face da respectiva nota acompanhada de alguns dados como valor facial, ano, etc...
Pede-se também, se possível, que as notas concorrentes sejam acompanhadas de um texto informativo. Há algunss temas em que essa informação será importante. (Personalidades, por exemplo)

4ª É permitida a colocação de um conjunto de notas, desde que tenham uma relação entre si, tornando-se uma mais valia na apresentação.

5ª Cada forista concorrente não pode votar na sua própria nota. Contudo se não participar na votação, terá uma penalização equivalente à média da pontuação obtida na sua nota (exemplo: se recebeu 45 pontos de 9 foristas, será penalizado em 45 a dividir por 9, que serão 5 pontos).

6ª Os “juizes” além da sua pontuação, podem deixar um comentário, por exemplo: O motivo do seu voto.
Cada forista deverá pontuar 8 (oito) notas, do seguinte modo:

10 Pontos
8 Pontos
6 Pontos
5 Pontos
4 Pontos
3 Pontos
2 Pontos
1 Ponto

Vencerá a nota que reunir mais pontos à hora do fecho das votações (24 horas do último dia do mês do concurso).

Para facilitar a votação, será atribuído um número de ordem a cada nota, pelo que irá ser publicada logo no dia 22 ou 24, uma lista com as moedas concorrentes.

7ª Em caso de empate pontual, será considerado vencedor aquele que tiver:

a) Mais pontuações de 10 pontos
b) Mais pontuações de 8 pontos
c) Mais pontuações de 6 pontos

8ª Os 3 primeiros classificados, passarão a figurar na galeria das notas vencedoras, em tópico existente para esse efeito.

9ª As notas expostas, não podem concorrer mais nenhuma vez durante esse ano, podendo concorrer no ano seguinte, excepto as 12 vencedoras dos anos anteriores.
As 12 primeiras (uma de cada mês) concorre à nota do ano, em Janeiro do ano seguinte, em simultâneo com a desse mês, mas num post à parte.

Está aberto o concurso! Podem apresentar as vossas beldades!



Avatar do Utilizador
Marco9774
Reinado D.António
Mensagens: 927
Registado: sábado out 27, 2007 10:57 pm
Localização: Gondomar
Contacto:

#2 Mensagem por Marco9774 » segunda fev 02, 2009 10:02 am

Antes de mais queria felicitar os eleitos do Mês de Janeiro em especial a Isabel que foi a grande vencedora numa luta renhida com o Celso só decidida na última votação...

Para este tema - Personalidades, apresento Takenouchi no Sukune.

Takenouchi no Sukune (武内宿禰) filho da Princesa Kagehime e descendente do Imperador Kogen ao que se consta teve uma longa vida na qual serviu 5 lendários imperadores: Keiko, Seimu, Chuai, Ojin e Nintoku. A história associa-o muito com Jingu para o qual foi um Alto Ministro e com ele supostamente invadiu a Coreia. Os 28 clãs japoneses dizem ser descendentes de Takenouchi no Sukune e através dele, da deusa do Sol, Amaterasu. Ele foi acusado de traição e teve que ser submetido a uma prova da água a ferver para provar a sua inocência. Reza a história que bebeu diariamente de um bem sagrado e isso ajudou-o a viver cerca de 280 anos...

A nota que apresento desta personagem: 1 Yen (1916)

Imagem
Imagem
Última edição por Marco9774 em terça fev 03, 2009 12:12 am, editado 1 vez no total.

Avatar do Utilizador
PedroT
Reinado D.Miguel
Mensagens: 316
Registado: domingo jan 01, 2006 9:03 pm
Localização: Porto
Contacto:

#3 Mensagem por PedroT » segunda fev 02, 2009 7:08 pm

Para a minha participação deste mês escolho a minha mais recente aquisição.
A personalidade escolhida por mim dispensa de qualquer apresentação, sendo uma das mais importantes personalidades da nossa História.

500 Escudos de Cabo Verde de 1971. Infante D. Henrique

Imagem
Imagem

Muito obrigado

AJCS
Reinado D.João V
Mensagens: 555
Registado: sábado jan 12, 2008 5:08 pm
Localização: Valpaços
Contacto:

Re: Nota do Mês - Fevereiro 2009

#4 Mensagem por AJCS » segunda fev 02, 2009 11:31 pm

Angola 100 escudos de 10 Junho de 1973
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Para mim, a segunda maior figura da história de Portugal, a seguir ao fundador, D. Afonso Henriques:
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 10 de Junho de 1580) é frequentemente considerado como o maior poeta de língua portuguesa e dos maiores da Humanidade. O seu génio é comparável ao de Virgílio, Dante, Cervantes ou Shakespeare. Das suas obras, a epopéia Os Lusíadas é a mais significativa...
in Wikipédia.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Imagem
Imagem
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Última edição por AJCS em quinta fev 12, 2009 4:35 pm, editado 2 vezes no total.

Avatar do Utilizador
jonig
Reinado D.Pedro II
Mensagens: 644
Registado: quarta dez 06, 2006 12:00 am
Localização: Caldas da Rainha

#5 Mensagem por jonig » terça fev 03, 2009 12:07 am

Miguel de Cervantes Saavedra (Alcalá de Henares, 29 de Setembro de 1547 — Madrid, 23 de Abril de 1616), romancista, dramaturgo e poeta espanhol.

Autor da mais importante obra em castelhano, Don Quixote de La Mancha.

Filho de um cirurgião cujo nome era Rodrigo e de Leonor de Cortinas. Em 1569 foge para Itália depois de um confuso incidente (feriu em duelo Antonio Sigura), tendo publicado já quatro poesias de valor. Sua participação na batalha de Lepanto, no ano 1571, deixa-lhe inutilizada a mão esquerda que lhe vale o apelido de o manco de Lepanto. Em 1575, durante seu regresso de Nápoles a Espanha é apresado por corsários de Argel, então parte do Império Otomano. Permanece em Argel até 1580, ano em que é liberado depois de pagar seu resgate.

De volta a Espanha casa-se com Catalina de Salazar em 1584, vivendo algum tempo em Esquivias, povoado de La Mancha de onde era sua esposa, e se dedica ao teatro. Publica em 1585 A Galatea o seu primeiro livro de ficção, no novo estilo elegante da novela pastoral. Com a ajuda de um pequeno círculo de amigos, que incluía Luíz Gálvez de Montalvo, o livro deu a conhecer Cervantes a um público sofisticado.

A partir de 1587 viaja pela Andaluzia como comissário de provisões da Invencível Armada, estabelecendo-se em Sevilha. Posteriormente trabalha como cobrador de impostos. Encarcerado em 1597 depois da quebra do banco onde depositava a arrecadação, "engendra" Dom Quixote de La Mancha, segundo o prólogo a esta obra, sem que se saiba se este termo quer dizer que começou a escrevê-lo na prisão, ou simplesmente que se lhe ocorreu a idéia ou o plano geral ali.

Finalmente, em 1605 publica a primeira parte de sua principal obra: O engenhoso fidalgo dom Quixote de La Mancha. A segunda parte não aparece até 1615: O engenhoso cavaleiro dom Quixote de La Mancha. Num ano antes aparece publicada uma falsa continuação de Alonso Fernández de Avellaneda.

Entre as duas partes de Don Quixote, aparecem as Novelas exemplares (1613), um conjunto de doze narrações breves, bem como Viagem de Parnaso (1614). Em 1615 publica Oito comédias e oito entremezes novos nunca antes representados, mas seu drama mais popular hoje, A Numancia, além de O trato de Argel , ficou inédito até o tardio século XVIII.

Miguel de Cervantes morreu em 1616, parecendo ter alcançado uma serenidade final de espírito.

Um ano depois de sua morte aparece a novela Os trabalhos de Persiles e Sigismunda.


Imagem
Imagem

Avatar do Utilizador
Tiago6
Reinado D.Afonso II
Mensagens: 2323
Registado: sábado nov 06, 2004 10:42 pm
Localização: Funchal

#6 Mensagem por Tiago6 » terça fev 03, 2009 10:22 pm

ImagemImagem

A minha concorrente para o mês de Fevereiro vem do antigo Zaire. São 10 Nouveaux Makuta! É uma nota comum mas que merece entrar no nosso concurso, até porque aquele senhor todo vaidoso é um "cromo" frequente nas nossa colecções!

Mobutu Sese Seko Nkuku wa za Banga, mais conhecido apenas por Mobutu!
Este senhor foi presidente do Zaire entre 1965 e 1997. Entrou para o exército em 1949 para entrar na luta pela independência do país, conseguida em 1960, exercendo então o cargo de secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros.
Afastou-se do meio politico pouco tempo depois, mas foi consolidando a sua força militar. Em 1965 chefia um golpe militar que derruba o Presidente da República e o Primeiro Ministro e respectivo governo.
Mobutu intitula-se o "herdeiro espiritual do país", dissolve a assembleia nacional e assume o poder legislativo, judicial e executivo.
Apesar da sua politica ditatorial, detinha o apoio dos paises do ocidente que não queriam ver instalada uma politica comunista em tão importante zona de Africa.
Em 1971 altera os simbolos nacionais do país assim como o nome do país, deixando este de se chamar Congo e passando a chamar-se Zaire.
Como podem ver na nota, o brazão do país austenta a cabeça de um leopardo, pois o seu presidente era apelidado de "Grande Leopardo" devio ao facto de aparecer em público com um chapéu feito com pele de leopardo. Nesta nota aparece com a farda militar, mas nas notas de periodos anteriores surge com o dito chapéu.
O Zaire era um dos paises mais ricos do continente africano, muito devido à exploração de metais e pedras preciosas. No entanto o seu povo vivia abaixo do limiar de pobreza e a divida externa chegava aos 12 mil milhões de dolares. O povo estava cada vez mais pobre, mas o mesmo já não acontecia com o seu presidente, que detinha uma riqueza no valor de 7 mil milhões de dolares, sendo na altura um dos homens mais ricos do mundo.
Em 1997, Laurent-Désiré Kabila, gerrileiro e adversário de Mobutu desde sempre, derruba o governo, tendo o ex-presidente fugido para o exilio em Rabat, onde morreu no mesmo ano com câncro na prostata.

Uma curiosidade sobre este senhor relacionada com Portugal:
Quem voava frequentemente para a Portela, até ao fim de 2006, talvez tivesse visto algumas vezes uma avião que apodrecia ali estacionado, pintado em tons de verde e com a inscrição "Republique du Zaire". Este avião era o avião privado do senhor Mobutu!!! Chegou ao aeroporto para manutenção mas as taxas de ocupação nunca foram pagas sendo que a ANA tomou posse do avião. Entretanto o governo caiu, o senhor morreu e o avião foi ficando!
Imagem

O avião só foi desmantelado em 2007!

Avatar do Utilizador
Shoto
Reinado D.Manuel I
Mensagens: 1116
Registado: sexta mai 16, 2008 11:26 pm
Localização: Porto
Contacto:

Nota do Mês - Fevereiro 2009 - Paul Bogle

#7 Mensagem por Shoto » quarta fev 04, 2009 1:30 am

Paul Bogle
Imagem

Paul Bogle foi um rebelde jamaicano (1822 - 24 de Outubro de 1865). Bogle nasceu perto dos dias finais da escravidão na Jamaica. Depois da abolição e já adulto, era um homem de situação relativamente melhor do que a dos outros ex-escravos: possuía propriedade particular e sabia ler e escrever. Além disso, Bogle era um dos 106 homens que podiam votar em Saint Thomas.

Bogle procurava ajudar o povo, e tentou promover uma marcha até a sede do governo clamando por justiça social. Porém as pessoas desistiram da marcha, num episódio que o cantor Bob Marley descreveria poeticamente quase um século depois: "I'll never forget, they turn they back on Paul Bogle." (Bob Marley, So Much Things to Say)

Em 1865 ocorreu um julgamento de dois homens da localidade de Bogle. Ele e alguns homens foram até Morant Bay para dar apoio aos acusados. Um homem deveria ser preso, porém Bogle intercedeu e evitou que a polícia o prendesse. A seguir, voltou para sua cidade, Stony Gut, e a polícia passou a persegui-lo. As pessoas deram suporte a Bogle, então. Marcharam para a sede do governo novamente, onde foram recebidas a tiros; cerca de 20 pessoas do grupo de Bogle foram mortas.

O grupo voltou para Stony Gut. Tropas foram mandadas para perseguir os rebeldes, e estava constituída a chamada Revolta de Morant Bay (11 de Outubro de 1865). Stony Gut foi completamente destruída, as casas foram queimadas.

Bogle foi capturado pelas autoridades inglesas, condenado e enforcado dias mais tarde, em 24 de Outubro. Mais de 400 pessoas também foram executadas.

Bogle é considerado um herói nacional da Jamaica, pela a Revolta de Morant Bay e pela perseverança em ajudar as pessoas de seu país.

Imagem Imagem
2 Dólares Jamaicanos de 1.2.93
Rui Gomes

Avatar do Utilizador
VMNV
Reinado D.Afonso III
Mensagens: 1718
Registado: quinta out 18, 2007 9:48 am

#8 Mensagem por VMNV » quarta fev 04, 2009 8:50 am

PEDRO "O GRANDE"
Pedro I (1672 — 1725), Pyotr Alekseyevich Romanov, conhecido por o Grande, foi czar ou tsar da Rússia, e primeiro Imperador do Império Russo, tendo regido de 1682 a 1725.Foi importante na modernização e ocidentalização da Rússia,país que ja estava muito defasado em relação ás potências ocidentais.Também deu ao seu país grande poder depois de derrotar a Suécia na Grande Guerra do Norte (1700-1721), que ficou marcada pela sua grande vitória na Batalha de Poltava (1709).

Imagem
wikipedia.org

Imagem
Imagem

Russia 500 Rubles 1912 Pick#14b
Reverso: Pedro I "O Grande"
Dimensões: 272x126mm
(Talvez a maior nota emitida até hoje)

Avatar do Utilizador
aalves
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 3223
Registado: sexta abr 27, 2007 11:19 pm
Localização: Rossas - Vieira do Minho
Contacto:

#9 Mensagem por aalves » quarta fev 04, 2009 2:28 pm

Che Guevara

Revolucionário e líder político latino-americano, cuja negação a aderir-se tanto ao capitalismo quanto ao comunismo ortodoxo, transformou-o num emblema da luta socialista. Por sua aparência selvagem, romântica e revolucionária, Che Guevara significa hoje uma lenda para os jovens revolucionários de todo o mundo, um exemplo de fidelidade e total devoção à união dos povos subjugados.

Imagem

Ernesto Guevara de la Serna nasce na cidade argentina de Rosário no dia 14 de junho de 1928, no seio de uma família aristocrática porém de idéias socialistas. Desde pequeno sofre ataques de asma e por essa razão em 1932 se muda para as serras de Córdoba. Estudou grande parte do ensino fundamental em casa com sua mãe. Na biblioteca de sua casa havia obras de Marx, Engels e Lenin, com os quais se familiarizou em sua adolescência.

Em 1947 Ernesto entra na Faculdade de Medicina da Universidade de Buenos Aires, motivado em primeiro lugar por sua própria doença e desenvolvendo logo um especial interesse pela lepra. Durante 1952, realiza uma longa jornada pela América Latina, junto com seu amigo Alberto Granados, percorrendo o sul da Argentina, o Chile, o Peru, a Colômbia e a Venezuela. Observam, se interessam por tudo, analisam a realidade com olho crítico e pensamento profundo. Ernesto regressa a Buenos Aires decidido a terminar o curso e no dia 12 de julho de 1953 recebe o título de médico.

Em julho de 1953, inicia sua segunda viagem pela América Latina. Nessa oportunidade visita Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Panamá, Costa Rica, El Salvador e Guatemala. Ao visitar as minas de cobre, as povoações indígenas e os leprosários, Ernesto dá mostras de seu profundo humanismo, vai crescendo e agigantando seu modo revolucionário de pensar e seu firme antiimperialismo. Na Guatemala conhece Hilda Gadea, com quem se casa e de cuja união nasce sua primeira filha.

Convencido de que a revolução era a única solução possível para acabar com as injustiças sociais existentes na América Latina, em 1954 Guevara marcha rumo ao México, onde se une ao movimento integrado por revolucionários cubanos seguidores de Fidel Castro. Foi aí onde ele ganhou o apelido de "Che", por seu jeito argentino de falar.

A fins da década de 1950, quando Fidel e os guerrilheiros invadem Cuba, Che os acompanha, primeiro como doutor e logo assumindo o comando do exército revolucionário. Finalmente, no dia 31 de dezembro de 1958, cai o ditador cubano Fulgencio Batista.

Após o triunfo da Revolução, Che Guevara se transforma na mão direita de Fidel Castro no novo governo de Cuba. É nomeado Ministro da Indústria e posteriormente Presidente do Banco Nacional. Desempenha simultaneamente outras tarefas diversas, de caráter militar, político e diplomático. Em 1959 casa-se, em segundas núpcias, com sua companheira de luta, Aleida March de la Torre, com quem terá mais quatro filhos. Visitam juntos vários países comunistas da Europa Oriental e da Ásia.

Oposto energicamente à influência norte-americana no Terceiro Mundo, a presença de Guevara foi decisiva na configuração do regime de Fidel e na aproximação cubana ao bloco comunista, abandonando os tradicionais laços que tinham unido Cuba e Estados Unidos.
Em 1962, após uma conferência no Uruguai, volta à Argentina e também visita o Brasil. Che Guevara esteve ainda em vários países africanos, principalmente no Congo. Lá lutou junto com os revolucionários antibelgas, levando uma força de 120 cubanos. Depois de muitas batalhas, terminaram derrotados e no outono de 1965 ele pediu a Fidel que retirasse a ajuda cubana.

Desde então, Che deixou de aparecer em atividades públicas. Sua missão como embaixador das idéias da Revolução Cubana tinha chegado ao fim. Em 1966, junto a Fidel, prepara uma nova missão na Bolívia, como líder dos camponeses e mineiros contrários ao governo militar. A tentativa acabou significando sua captura e posterior execução no dia 9 de outubro de 1967. Os restos do Che descansam no mausoléu da Praça Ernesto Che Guevara em Santa Clara, Cuba.

In, http://www.mibsasquerido.com.ar/Personagens06.htm

Cuba, 3 Pesos 1988 - Pick 107

Imagem
Imagem

Avatar do Utilizador
Iman
Reinado D.Carlos
Mensagens: 106
Registado: terça jan 27, 2009 8:23 pm
Localização: Miratejo - Almada

Re: Nota do Mês - Fevereiro 2009

#10 Mensagem por Iman » quarta fev 04, 2009 3:26 pm

Fernando Pessoa

Escritor português, nasceu a 13 de Junho, numa casa do Largo de São Carlos, em Lisboa. Aos cinco anos morreu-lhe o pai, vitimado pela tuberculose, e, no ano seguinte, o irmão, Jorge. Devido ao segundo casamento da mãe, em 1896, com o cônsul português em Durban, na África do Sul, viveu nesse país entre 1895 e 1905, aí seguindo, no Liceu de Durban, os estudos secundários.
Frequentou, durante um ano, uma escola comercial e a Durban High School e concluiu, ainda, o «Intermediate Examination in Arts», na Universidade do Cabo (onde obteve o «Queen Victoria Memorial Prize», pelo melhor ensaio de estilo inglês), com que terminou os seus estudos na África do Sul. No tempo em que viveu neste país, passou um ano de férias (entre 1901 e 1902), em Portugal, tendo residido em Lisboa e viajado para Tavira, para contactar com a família paterna, e para a Ilha Terceira, onde vivia a família materna. Já nesse tempo redigiu, sozinho, vários jornais, assinados com diferentes nomes.
De regresso definitivo a Lisboa, em 1905, frequentou, por um período breve (1906-1907), o Curso Superior de Letras. Após uma tentativa falhada de montar uma tipografia e editora, «Empresa Íbis — Tipográfica e Editora», dedicou-se, a partir de 1908, e a tempo parcial, à tradução de correspondência estrangeira de várias casas comerciais, sendo o restante tempo dedicado à escrita e ao estudo de filosofia (grega e alemã), ciências humanas e políticas, teosofia e literatura moderna, que assim acrescentava à sua formação cultural anglo-saxónica, determinante na sua personalidade.
Em 1920, ano em que a mãe, viúva, regressou a Portugal com os irmãos e em que Fernando Pessoa foi viver de novo com a família, iniciou uma relação sentimental com Ophélia Queiroz (interrompida nesse mesmo ano e retomada, para rápida e definitivamente terminar, em 1929) testemunhada pelas Cartas de Amor de Pessoa, organizadas e anotadas por David Mourão-Ferreira, e editadas em 1978. Em 1925, ocorreria a morte da mãe. Fernando Pessoa viria a morrer uma década depois, a 30 de Novembro de 1935 no Hospital de S. Luís dos Franceses, onde foi internado com uma cólica hepática, causada provavelmente pelo consumo excessivo de álcool.

Nota de 100 escudos Fernando Pessoa Ch. 9 estado SOB
Lisboa, 26 de Maio de 1988

ImagemImagem
Última edição por Iman em quinta fev 12, 2009 7:10 pm, editado 1 vez no total.
Emanuel

Responder

Voltar para “Notafilia”