Nota do Mês de Fevereiro-Notas das Américas

Discussão de temas relacionados com notafilia

Moderadores: VMNV, José Duarte, Moderador de Honra

Mensagem
Autor
Avatar do Utilizador
VMNV
Reinado D.Afonso III
Mensagens: 1718
Registado: quinta out 18, 2007 9:48 am

Nota do Mês de Fevereiro-Notas das Américas

#1 Mensagem por VMNV » quarta fev 01, 2012 9:52 am

Vamos dar inicio ao concurso para eleger a Nota do Mês de Fevereiro-Tema: Notas das Américas

Aqui ficam as regras do concurso:

1ª Os foristas interessados em concorrer à eleição da Nota do Mês, só podem colocar uma nota, respeitando o tema mensal até ao dia 21 - 24:00h desse mês, a partir daqui o tópico é considerado encerrado passando à fase de eleição por todos os foristas que assim o entenderem, que terminará às 24 horas do último dia do mês.

2ª O número mínimo necessário para se realizar e eleição é de 9 (nove) notas. Caso esse número não seja atingido no prazo estipulado, esse será alargado por mais 48 horas, ou seja até às 24 horas do dia 23. Se mesmo assim não for atingido o mínimo, a eleição ficará sem efeito.

3ª A colocação da nota, consiste só unicamente de uma foto de cada face da respectiva nota acompanhada de alguns dados como valor facial, ano, etc...
Pede-se também, se possível, que as notas concorrentes sejam acompanhadas de um texto informativo. Há algunss temas em que essa informação será importante. (Personalidades, por exemplo)

4ª É permitida a colocação de um conjunto de notas, desde que tenham uma relação entre si, tornando-se uma mais valia na apresentação.

5ª Cada forista concorrente não pode votar na sua própria nota. Contudo se não participar na votação, terá uma penalização equivalente à média da pontuação obtida na sua nota (exemplo: se recebeu 45 pontos de 9 foristas, será penalizado em 45 a dividir por 9, que serão 5 pontos).

6ª Os “juizes” além da sua pontuação, podem deixar um comentário, por exemplo: O motivo do seu voto. Cada forista deverá pontuar 8 (oito) notas, do seguinte modo:

10 Pontos
8 Pontos
6 Pontos
5 Pontos
4 Pontos
3 Pontos
2 Pontos
1 Ponto

Vencerá a nota que reunir mais pontos à hora do fecho das votações (24 horas do último dia do mês do concurso).

Para facilitar a votação, será atribuído um número de ordem a cada nota, pelo que irá ser publicada logo no dia 22 ou 24, uma lista com as notas concorrentes.

7ª Em caso de empate pontual, será considerado vencedor aquele que tiver:

a) Mais pontuações de 10 pontos
b) Mais pontuações de 8 pontos
c) Mais pontuações de 6 pontos

8ª Os 3 primeiros classificados, passarão a figurar na galeria das notas vencedoras, em tópico existente para esse efeito.

9ª As notas expostas, não podem concorrer mais nenhuma vez durante esse ano, podendo concorrer no ano seguinte, excepto as 12 vencedoras dos anos anteriores. As 12 primeiras (uma de cada mês) concorre à nota do ano, em Janeiro do ano seguinte, em simultâneo com a desse mês, mas num post à parte.

Está aberto o concurso!
Boa sorte a todos :thumbupleft:



Avatar do Utilizador
VMNV
Reinado D.Afonso III
Mensagens: 1718
Registado: quinta out 18, 2007 9:48 am

Re: Nota do Mês de Fevereiro-Notas das Américas

#2 Mensagem por VMNV » quinta fev 02, 2012 8:37 am

100 Escudos 1962-75 Pick#141a

Imagem
Imagem
Anverso: Manuel Rengifo y Cárdenas
Reverso: Escuadra Libertadora


Imagem

Manuel Rengifo
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Manuel Rengifo

Manuel Rengifo y Cárdenas (Santiago do Chile, 31 de dezembro de 1793 — Talca, 16 de março de 1846) foi um político chileno, ministro dos presidentes José Joaquín Prieto Vial e Manuel Bulnes Prieto.

Vida política

Manuel Rengifo foi nomeado ministro da fazenda em 19 de junho de 1830, durante a administração de José Joaquín Prieto Vial. O país se encontrava com um grande déficit econômico. Uma de suas contribuições mais notáveis foi a reforma tributária e aduaneira, aplicada em conjunto com uma rigorosa diminuição dos gastos públicos e controle da dívida externa e interna.

Expedição Libertadora do Peru
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A Expedição Libertadora do Peru foi uma força nacionalista organizada em 1820 pelo governo do Chile, com elementos pertencentes ao Exército libertador dos Andes e ao recém-restaurado Exército do Chile, com o objetivo de libertar o vice-reinado do Peru do domínio da coroa espanhola. A expedição foi a continuação do plano de libertação concebido pelo general José de San Martín para as colônias espanholas do sul da américa. Seu principal estimulador e organizador foi o libertador capitão-general Bernardo O'Higgins, em conjunto com seu governo. Mesmo após San Martín proclamar a independência, terminada esta campanha no Peru, ainda seguia parcialmente o domínio da coroa espanhola.

Indy
Reinado D.Miguel
Mensagens: 326
Registado: quinta mar 05, 2009 10:37 pm
Localização: Faro

Re: Nota do Mês de Fevereiro-Notas das Américas

#3 Mensagem por Indy » quinta fev 02, 2012 11:28 pm

PERU-500 INTIS-26-06-1987-Pick.134-JOSÉ GABRIEL CONDORCANQUI - TUPAC AMARU II

A minha participação para a Nota do Mês de Fevereiro - 2012 - Notas das Américas - vai para uma Nota do Peru - 500 Intis - datada de 26 de Junho de 1987, com a efígie dum herói peruano - TUPAC AMARU II.


Imagem
By indy007 at 2012-02-02

Imagem
By indy007 at 2012-02-02


Túpac Amaru II




Túpac Amaru II (Tinta, Vice-reino do Peru, 19 de março de 1738 - Cusco 18 de maio de 1781), nascido José Gabriel Condorcanqui Noguera, foi um líder indígena peruano.

Tupac Amaru II conduziu a maior rebelião anticolonial da América no século XVIII - a chamada Grande Rebelião -, que teve lugar no Vice-reino do Rio da Prata e no Vice-reino do Peru, iniciada em 4 de novembro de 1780, com a captura e posterior execução do corregedor Antonio de Arriaga. Embora a revolta não tenha tido sucesso, Túpac Amaru II acabou por se tornar uma figura mítica, inspirando inúmeros movimentos pela independência do Peru, bem como a luta pelos direitos dos povos indígenas.

Ele não deve ser confundido com Tupac Katari, líder de um levantamento similar ocorrido na mesma época, na região da atual Bolívia.

Curaca de Surimana, Tungasuca e Pampamarca, era um próspero comerciante mestiço, descendente de Tupac Amaru I (último sapa inca, executado pelos espanhóis no século XVI) e de criollos. Durante boa parte de sua vida, identificou-se culturalmente com os criollos. Até os 12 anos foi educado pelo sacerdote criollo Antonio López de Sosa e, depois, no Colegio San Francisco de Borja, instituição educativa de Cusco, especializada na educação da nobreza inca, durante o período colonial, frequentada pelos filhos de caciques. Nessa época, Condorcanqui usava refinadas roupas hispânicas. Posteriormente, passaria a trajar-se como um nobre inca, acabando por ser excomungado da Igreja Católica.

A instalação do sistema colonial espanhol na América foi marcada por um processo massivo de eliminação de boa parte das populações indígenas. No entanto, conforme assinalado pelo poeta chileno Pablo Neruda, a “cruz”, a “espada” e a “fome” não foram suficientes para encerrar a resistência da população indígena frente ao colonizador. No século XVIII, o influxo de idéias iluministas e liberais veio a acirrar o conflito entre indígenas e espanhóis.

Mas nem toda a população indígena era contra a dominação hispânica. Havia curacas (caciques) dispostos a fazer acordos com os colonizadores, a quem apoiavam, em troca de participação nos tributos arrecadados ou para livrar-se do trabalho compulsório, imposto pelos espanhóis, que, dessa forma, mantinham as estruturas da dominação sem a necessidade de emprego da força, o que contrariava seus interesses, por exigir gastos na organização de tropas e implicar a diminuição da mão-de-obra disponível para o trabalho.

Em 1780, José Gabriel Condorcanqui indispôs-se com as elites metropolitanas do Peru. Ele era uma grande exceção entre os indígenas da região. Estudara na Universidade de São Marcos, em Lima, onde tivera contato com os ideais iluministas e conhecera a história de Túpac Amaru, de quem se dizia descendente. Inspirado por essas idéias, Condorcanqui mudou seu nome para Túpac Amaru II e organizou um movimento de emancipação que contou com o apoio da elite criolla. Em pouco tempo, milhares de mestiços, indígenas, escravos e colonos empobrecidos decidiram não mais obedecer às exigências e tributos da Coroa Espanhola.

A popularização dos ideais da rebelião Túpac Amaru passou, assim, a representar uma ameaça real aos interesses do colonizador. O movimento foi então duramente combatido e esmagado em pouco tempo. Túpac Amaru II foi preso, sumariamente julgado pelas autoridades metropolitanas e, afinal, executado de maneira cruel.

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

__________
Acácio

Avatar do Utilizador
colecionador
Reinado D.António
Mensagens: 927
Registado: terça nov 16, 2004 11:31 pm
Localização: Pax Julia

Re: Nota do Mês de Fevereiro-Notas das Américas

#4 Mensagem por colecionador » domingo fev 05, 2012 6:22 pm

Rafael Yglesias Castro
16° Presidente de Costa Rica
8 de mayo, 1898 – 1 de mayo, 1902
Imagem
Imagem
Luis Mestre
Nota a nota a colecção cresce ...mas nunca estará completa.

http://notasmundocolecionador.blogspot. ... -beja.html

http://www.bialto.pt/active_auctions.ph ... &category=

Avatar do Utilizador
José Gomes
Reinado D.Afonso II
Mensagens: 2139
Registado: quinta jun 16, 2011 5:05 pm
Localização: Pernambuco, Brasil

Re: Nota do Mês de Fevereiro-Notas das Américas

#5 Mensagem por José Gomes » quarta fev 08, 2012 8:04 pm

Brasil, República, 5.000 Réis, 1908, referência R093 Catálogo Amato/Irlei, 1933 a 2011. Autografada.

Órgão emissor: Tesouro Nacional, 13a. Estampa (ABN)

Anverso: Mulher sentada segurando a estátua da deusa Vitória, à esquerda.
Reverso: Vista da Ilha Fiscal, Baía da Guanabara, Estado do Rio de Janeiro.


Imagem

Imagem

Um pouco de história, a Ilha Fiscal:

A Ilha Fiscal localiza-se no interior da baía de Guanabara, fronteira ao centro histórico da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil.
Primitivamente denominada pelos europeus como ilha dos Ratos, o seu atual nome provém do fato de ali ter funcionado o posto da Guarda Fiscal, que atendia o porto da então capital do Império, no século XIX.
A ilha celebrizou-se por ter abrigado o famoso baile da Ilha Fiscal, a última grande festa do Império antes da proclamação da República, em Novembro de 1889.
Atualmente abriga um museu histórico-cultural, mantido pela Marinha do Brasil.
No século XIX, o Conselheiro José Antônio Saraiva do Ministério da Fazenda, solicitou construir-se um posto alfandegário para o controle das mercadorias a serem importadas e exportadas pelo porto do Rio de Janeiro, então Capital do Império. A posição daquela ilha era bastante cômoda para os inspetores da Alfândega, devido à proximidade dos pontos de fundeio, sendo que o translado de mercadorias poderia ser executado em embarcações miúdas, sem grandes dificuldades.
A decisão da construção, assim como a do seu estilo arquitetônico, foram do Imperador D. Pedro II, tendo em conta não conflitar com a paisagem da Serra do Mar. À época, o Imperador teria afirmado: "A ilha é um delicado estojo, digno de uma brilhante joia".
Optou-se assim por um pequeno "château" em estilo gótico-provençal, inspirado nas concepções do Arquiteto francês Violet-le-Duc, com projeto de autoria de Adolpho José Del Vecchio - então Engenheiro-Diretor de Obras do Ministério da Fazenda -, onde se destacavam as agulhas e as ameias medievais a adornar a silhueta da edificação.

Gomes.
Última edição por José Gomes em terça fev 14, 2012 8:44 pm, editado 1 vez no total.

Avatar do Utilizador
JPMatos
Reinado D.Afonso II
Mensagens: 2248
Registado: terça mar 08, 2011 2:58 pm
Localização: Évora
Contacto:

Re: Nota do Mês de Fevereiro-Notas das Américas

#6 Mensagem por JPMatos » terça fev 14, 2012 6:38 pm

Imagem .
Imagem .



Nota:2 dollars.
Data:2003.
Frente:Tohmas Jeffersos.
Verso:Declaração da Independencia,1776.



Thomas Jefferson.


Thomas Jefferson (Shadwell, 13 de abril de 1743 – Charlottesville, 4 de julho de 1826)foi o terceiro presidente dos Estados Unidos (1801-1809), e o principal autor da declaração de independência (1776) daquele país. Jefferson foi um dos mais influentes Founding Fathers (os "Pais Fundadores" da nação), conhecido pela sua promoção dos ideais do republicanismo nos Estados Unidos. Visualizava o país como a força por trás de um grande "Império de Liberdade" que promoveria o republicanismo e combateria o imperialismo do Império Britânico.
Entre os eventos de destaque da história americana que ocorreram durante sua presidência estão a Compra da Louisiana (1803) e a Expedição de Lewis e Clark (1804-1806), bem como a escalada das tensões entre a Grã-Bretanha e a França que levaram à guerra com o Império Britânico em 1812, ano que deixou o cargo.
Como filósofo político Jefferson foi um homem do Iluminismo, que conheceu diversos dos grandes líderes intelectuais da Grã-Bretanha e França de seu tempo. Idealizou o fazendeiro yeoman como um exemplo das virtudes republicanas, alimentava uma desconfiança de cidades e financeiros, enquanto privilegiava os direitos dos estados e um governo federal rigorosamente controlado. Apoiava a separação entre Igreja e Estado e foi o autor do Estatuto da Virgínia para Liberdade Religiosa (1779, 1786). Epônimo da democracia jeffersoniana, foi co-fundador e líder do Partido Democrata-Republicano, que dominou a política dos Estados Unidos por 25 anos. Jefferson serviu como governador da Virgínia durante um período de guerra (1779-1781), foi o primeiro secretário de Estado dos Estados Unidos (1789-1793) e segundo vice-presidente dos Estados Unidos (1797-1801).
Um polímata, Jefferson se destacou, entre outras coisas, como horticultor, líder político, arquiteto, arqueólogo, paleontólogo, músico, inventor e fundador da Universidade da Virgínia. Quando o presidente John F. Kennedy recebeu 49 vencedores do Prêmio Nobel à Casa Branca, em 1962, declarou: "acredito que esta é a mais extraordinária reunião de talento e conhecimento humano que já foi reunida na Casa Branca – com a possível exceção de quando Thomas Jefferson jantava aqui sozinho." Até o presente, Jefferson é o único presidente americano a ter servido dois mandatos completos no cargo sem ter vetado um único projeto de lei do Congresso. Jefferson foi regularmente classificado pelo meio acadêmico como um dos maiores presidentes americanos.


Imagem





Declaração da Independência.

A Declaração da Independência dos Estados Unidos da América foi o documento no qual as Treze Colônias na América do Norte declararam sua independência do Reino Unido, bem como justificativas para o ato. Foi ratificada no Congresso Continental em 4 de julho de 1776, considerado o dia da independência dos Estados Unidos.
As treze colônias tomaram este passo, pois os britânicos estavam se aproveitando da América do Norte, com impostos para pagar o prejuízo das guerras feitas pelos ingleses, então as treze colônias tomaram a decisão de criar A Declaração da Independência dos Estados Unidos da América.
Acontecimentos durante a colonização da América, que revoltaram as treze colônias
Guerra dos sete anos (Ingleses e Franceses lutaram para conseguir os territórios da América do Norte, no final a Inglaterra ganhou, mas também com essa guerra gastou muito dinheiro, acabou tendo que implantar impostos nas colônias da América do Norte).
Lei do selo (Todos os documentos oficiais que passassem nas colônias exceto livros e jornais deviam conter selos comprados da metrópole).
Lei do açúcar: A Lei do Açúcar foi aprovada em 5 de abril de 1764 pelo Parlamento inglês. Essa lei substituía e Lei do Melado, de 1733, e tinha como objetivo por um fim no contrabando e de proteger os agricultores ingleses radicados nas Antilhas. Taxava o açúcar que entrava nos Estados Unidos da América e que não fosse comprado das Antilhas inglesas. Sendo matéria-prima do rum, e este por sua vez, juntamente com o tabaco eram utilizados pelos colonos para comprar escravos na África, a lei desagradou muitos os habitantes da então colônia inglesa.
Festa do Chá de Boston (Boston Tea Party: O governo inglês, para favorecer a decadente Companhia das Índias Orientais, que estava à beira da falência, concedeu-lhe o monopólio da venda do chá para as colônias americanas. Disfarçados de índios, os colonos jogaram ao mar o carregamento de chá trazidos pela Companhia das Índias Orientais, cujo preço baixo arruinaria os comerciantes locais, que se abasteciam em outras paragens).
As treze colônias não suportaram esses acontecimentos e fizeram o acordo de Independência dos Estados Unidos, no dia 4 de julho no ano de 1776.
Última edição por JPMatos em quarta fev 22, 2012 7:16 pm, editado 1 vez no total.
Cumprimentos,JPMatos.
:fcp: :fcp: .

Avatar do Utilizador
João Paulo Silva
Reinado D.António
Mensagens: 925
Registado: terça jul 08, 2008 7:14 pm

Re: Nota do Mês de Fevereiro-Notas das Américas

#7 Mensagem por João Paulo Silva » terça fev 14, 2012 10:04 pm

Série de 1970 padrão Cruzeiro, com a particularidade de todas as notas apresentadas serem de substituição.

1 Cruzeiro
Anverso: Efigie da República
Reverso: Edificio da Caixa de Amortização
Imagem

5 Cruzeiros
Anverso:D.Pedro I
Reverso: Praça XV de Novembro - Rio Janeiro
Imagem

10 Cruzeiros
Anverso: D.Pedro II
Reverso: Profeta Daniel (escultor Aleijadinho)
Imagem

50 Cruzeiros
Anverso: Marechal Deodoro da Fonseca (1º.Presidente República Brasil 1889-1891)
Reverso: Embarque de Café
Imagem

100 Cruzeiros
Anverso:Floriano Vieira Peixoto (Presidente da República 1891-1894)
Reverso: Congresso Nacional - Distrito Federal
Imagem

:green:
João Paulo Silva

limburgo
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 3931
Registado: domingo mai 10, 2009 10:01 am

Re: Nota do Mês de Fevereiro-Notas das Américas

#8 Mensagem por limburgo » segunda fev 20, 2012 10:13 am

El Salvador 10 colones 1997
Imagem
Imagem
Se a inveja matasse a humanidade já nao existia.
Cumps Paulo

Avatar do Utilizador
Nascimento
Reinado D.Sancho I
Mensagens: 2692
Registado: domingo set 09, 2007 5:07 pm
Localização: Marinha Grande

Re: Nota do Mês de Fevereiro-Notas das Américas

#9 Mensagem por Nascimento » segunda fev 20, 2012 11:24 am

Este més decidi fazer parte desta Temática.
Aqui vai a minha participação. :green:

- 5 Dollars 1886
- Estado do Louisiana


Imagem


Imagem
Nascimento

Avatar do Utilizador
João Paulo Silva
Reinado D.António
Mensagens: 925
Registado: terça jul 08, 2008 7:14 pm

Re: Nota do Mês de Fevereiro-Notas das Américas

#10 Mensagem por João Paulo Silva » segunda fev 20, 2012 6:21 pm

A minha intervenção tem a intenção de fazer subir o tópico.
Será que não existem mais notas relacionadas com o tema que os amigos possam postar aqui ?
Aponto especialmente aos foristas que em tempos reclamavam que só eram votadas as notas de Portugal, preterindo as dos outros países.
Agora têm uma boa oportunidade.
Abraço a todos.
:green:
João Paulo Silva

Responder

Voltar para “Notafilia”