CONCEIÇÃO (600 RÉIS)

Moderadores: palves, LMACHADO, numisiuris, crislaine, Jacinto Silva, Praça, Moderador de Honra

Mensagem
Autor
Alfonsvs
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 4441
Registado: segunda abr 04, 2005 11:31 am
Localização: Barcelos - Portugal

Re: CONCEIÇÃO (600 RÉIS)

#11 Mensagem por Alfonsvs » terça dez 31, 2019 1:30 am

Para dar o meu contributo a este tópico, e dar os parabéns ao meu amigo João Dias, fui desenterrar o que escrevi num tópico em Junho de 2009.
De notar que naquele tempo as coisas não eram assim tão rápidas como agora.
O cunho foi aberto em 1648, custou 3 mil réis (pago apenas após Dezembro de 1649), a ordem para a cunhagem veio em 5 de Dezembro de 1650, e só em 9 de Outubro de 1651 é que lhes foi atribuído um valor para circularem como moeda.
............

«A moeda original é rara e vale muitos milhares de euros. As réplicas recentes vendem-se desde 15 euros a pouco mais de 100 euros.

Para ajudar ao conhecimento desta bela moeda aproveito para apresentar alguns apontamentos:

D. João IV era neto de D. Catarina, Duquesa de Bragança, e filho de D. Teodósio, Duque de Bragança. Casou em Espanha com D. Luísa Francisca de Gusmão, filha do Duque de Medina Sidónia. Esta senhora mostrou ser muito corajosa, apoiando o marido e incentivando-o a que aceitasse a coroa. Diz-se desta senhora que em sua opinião "valia mais ser rainha uma hora do que duquesa toda a vida" ou então que "era preferível morrer reinando do que viver servindo".
Uma das medidas mais famosas de D. João IV foi proclamar Nossa Senhora da Conceição (Imaculada Conceição) como padroeira de Portugal.
A proclamação de Nossa Senhora da Conceição como padroeira de Portugal, foi feita por provisão régia de D. João IV de 25 de Março de 1646 «em homenagem, agradecimento solene e perpétuo monumento da Restauração de Portugal, como anteriormente tinha sido deliberado e jurado em Cortes com três Estados do reino»

Imagem

As moedas da Conceição têm gravado 1648, ano em que foram abertos os cunhos, pois só a 3 de Dezembro de 1649 o Conselho da Fazenda autorizou a Casa da Moeda a receber o engenho vindo de França, em que depois se cunhou. «Diz Gaspar Pacheco, juiz e tesoureiro da Casa da Moeda desta cidade, que lhe é necessário um despacho para que se receba o engenho que Troise António Routier traz de França para a fábrica da dita Casa, e que todas as despesas e custos que fizer com o dito engenho lhe façam as despesas com os escrivães da Casa, os quais lhes levaram os contadores em conta. E assim mais três mil réis que gastou em mandar abrir um ferro para a imagem de Nossa Senhora da Conceição» Como resposta foi dirigido o seguinte despacho de 3 de Dezembro de 1649: «O suplicante trate de recolher este engenho, e os escrivães façam a despesa na forma que pede»

A ordem para as cunhar, foi dada em 5 de Dezembro de 1650:
«Por quanto Sua Magestade foi servido mandar que se lavrassem moedas de ouro e prata com a imagem santa da virgem santíssima nossa senhora da conceipçaõ, feitas no engenho que veio de França; o juis da moeda faça lavrar logo as ditas moedas na forma e maneira que já se lavravão asin de ouro como de prata, procurando se lavrem e fação alguas, as mais que se possa, athé oito deste mês de Dezembro, dia da conceipçaõ, para o que se lhe passará Alvará.»

Só pelo alvará de 9 de Outubro de 1651 se decretou o seu valor monetário, sendo 12.000 reis para as de oiro e 600 réis para as de prata:
«Eu ElRey faço saber aos que este Alvará virem que Eu hei por bem e me praz que as moedas de imagem de nosa senhora da conceipçaõ, que ora ouve por meu serviço mandar se lavrassem, tenhaõ de valor extrínseco as que forem de ouro doze mil reis cada hua, tendo de pezo doze oitavas, e as que forem de prata seis tostois, pondoce pello molde mais grosso, e tendo cada hua de peso hua onça e que nesta forma poçaõ correr em meus Reinos e senhorios, como a mais moeda uzual, vista a informação do juis e thesoureiro da caza da moeda desta cidade; pelo que mando aos vedores de minha fazenda que na forma acima dita façaõ cumprir e guoardar o contheudo neste Alvará, paçando pêra esse efeito as ordens que necessarias forem, com todas as clausulas, condissois, pennas e obrigaçois, como se de cada hua dellas se fizera expreça mençaõ e declaraçaõ. (…)»

Efectivamente esta moeda começou primitivamente por ser medalha em 1648 e só pela Ordem de 5 de Dezembro de 1650 foi mandada lavrar como moeda de ouro e prata.

No catálogo do leilão de Maio de 2006, a Sociedade Portuguesa de Numismática no Porto teve à venda duas medalhas em prata com 42mm, do 3º centenário da Conceição em 1946, por 35 Euros cada. No ano anterior tinha vendido uma por 75 Euros.

No “Preçário das moedas portuguesas de 1640 a 1940” por Pedro Batalha Reis é chamada «a atenção dos coleccionadores para a recunhagem da Conceição efectuada no século XIX, cerca de 1890, por ocasião da visita da rainha D. Amélia à Casa da Moeda, com os primitivos cunhos de 1648. Essa recunhagem deu lugar a que os cunhos se fendessem, sendo claramente visível a fenda dos cunhos nesses exemplares, do bordo junto à fonte, passando perto dos pés da Virgem até ao horto.
Em 1946 nova recunhagem se fez, havendo-se introduzido no reverso um elemento novo: as datas 1646 e 1946 entre os braços da Cruz.

Eis as características que distinguem as cunhagens das moedas originais das réplicas:

1648, módulo de 41mm e peso de 28,80 g
1650, módulo de 42mm e peso de 29,30 g
1890, módulo de 41mm e peso de 33,70 g
1946, módulo de 42mm e peso de 41,80 g

Da «Cartilha da Numismática Portuguesa» de Pedro Batalha Reis, 1956 retirei a imagem abaixo de uma moeda com data de 1950 com a seguinte informação:
Anverso: IOANNES – IIII – D – G – PORTVGALIAE – ET – ALGARBIAE – REX
Armas do Reino assentes sobre a Cruz de Cristo.
Reverso: TVTELARIS – REGNI
Ao centro a imagem de N. S. da Conceição aureolada de estrelas, de pé sobre o globo em volta do qual se enrosca uma serpente, tendo por baixo dela a data 1650. Aos lados vêem-se à esquerda o sol, a casa do oiro e o horto, e à direita o espelho, a arca do santuário e a fonte selada.
O autor acrescenta: Variante do cunho com data 1648, não só no delineamento das coisas, mas ainda no Escudo e na data.

Imagem


Como curiosidade apresento esta medalha em ouro com data de 1648 (no globo) e recunhada em Abril de 1947
Apenas foram cunhados 35 exemplares. Peso 69,68g. Vendida em 2002 na Numisma por 1050 euros

ImagemImagem


José Matos

AdrianoHS
Reinado D.José
Mensagens: 534
Registado: segunda nov 26, 2018 4:47 am

Re: CONCEIÇÃO (600 RÉIS)

#12 Mensagem por AdrianoHS » terça dez 31, 2019 4:23 am

Magnífica...cada linha. O tópico inteiro é belíssimo.

Obrigado a partilha.

Responder

Voltar para “D. João IV”