4 vinténs do Porto de D. João IV - Dúvida terrível...

Moderadores: Praça, LMACHADO, palves, Jacinto Silva, crislaine, Moderador de Honra

Mensagem
Autor
Avatar do Utilizador
numisiuris
Reinado D.Sancho I
Mensagens: 2545
Registado: sexta abr 11, 2014 7:07 am

Re: 4 vinténs do Porto de D. João IV - Dúvida terrível...

#11 Mensagem por numisiuris » terça abr 07, 2020 10:02 pm

carlos47 Escreveu:
terça abr 07, 2020 9:55 pm
Reconsidere o ponto prévio
Eheh. Não pode ser. Já me libertei dessas coisas. Agora sou um perigo. ;)



Monge
Reinado D.Afonso II
Mensagens: 2049
Registado: quinta abr 26, 2012 10:59 pm

Re: 4 vinténs do Porto de D. João IV - Dúvida terrível...

#12 Mensagem por Monge » terça abr 07, 2020 10:12 pm

Sinceramente gosto mais da segunda. Até é parecida com a minha que, aliás, até está em pior estado.

Avatar do Utilizador
jmilheiro
Reinado D.Maria I
Mensagens: 496
Registado: quarta nov 05, 2008 12:27 pm
Localização: coimbra

Re: 4 vinténs do Porto de D. João IV - Dúvida terrível...

#13 Mensagem por jmilheiro » quarta abr 08, 2020 1:32 am

Se o tópico versa em discorrer sobre coisa nenhuma, julgo que posso contribuir com uma opinião fundamentada, maturada numa práxis, que de tão íntima já se tornou rotineira. Este tópico ilustra, na sua interpretação objectiva (o que entendo como propósito ficará para um segundo parágrafo), as longas conversas que costumo ter com o meu pai (felizmente ainda o tenho), quase sempre na adega: discutimos longamente sobre as melhores práticas, sobre o tempo certo de intervenção, sobre as escolhas e a sua calendarização, sempre com elevação e respeito mútuo de opiniões. Depois ele faz como já tinha decidido, muito antes de ter conversado comigo. Não por desrespeito, apenas por uma teimosia inata.
Se faz sentido graduar moeda batida? Não. As escolhas que fazemos são invariavelmente emotivas e subjectivas.
O que poderá fazer diferença? Um plataforma que consiga concatenar confiança na genuinidade das peças com uma base de dados alargada de variantes. Como se alicerça uma empreitada épica deste género? Para começar com um líder com uma vontade inabalável, depois com massa crítica em todas as áreas científicas, de seguida com todos os comerciantes e leiloeiras de referência, porque todos têm que interiorizar alguma vantagem. Talvez todos seja exagero meu, em todos os processos de mudança há sempre quem fique a perder.
Para concluir, espero que o amigo decida como o meu pai, este ano já correu bem com o branco (o melhor dos últimos anos, e ainda vou a tempo de corrigir a mão para o tinto).
Abraço.
Cumprimentos,
jmilheiro

Avatar do Utilizador
numisiuris
Reinado D.Sancho I
Mensagens: 2545
Registado: sexta abr 11, 2014 7:07 am

Re: 4 vinténs do Porto de D. João IV - Dúvida terrível...

#14 Mensagem por numisiuris » quarta abr 08, 2020 2:10 am

jmilheiro Escreveu:
quarta abr 08, 2020 1:32 am
Se o tópico versa em discorrer sobre coisa nenhuma, julgo que posso contribuir com uma opinião fundamentada, maturada numa práxis, que de tão íntima já se tornou rotineira. Este tópico ilustra, na sua interpretação objectiva (o que entendo como propósito ficará para um segundo parágrafo), as longas conversas que costumo ter com o meu pai (felizmente ainda o tenho), quase sempre na adega: discutimos longamente sobre as melhores práticas, sobre o tempo certo de intervenção, sobre as escolhas e a sua calendarização, sempre com elevação e respeito mútuo de opiniões. Depois ele faz como já tinha decidido, muito antes de ter conversado comigo. Não por desrespeito, apenas por uma teimosia inata.
Se faz sentido graduar moeda batida? Não. As escolhas que fazemos são invariavelmente emotivas e subjectivas.
O que poderá fazer diferença? Um plataforma que consiga concatenar confiança na genuinidade das peças com uma base de dados alargada de variantes. Como se alicerça uma empreitada épica deste género? Para começar com um líder com uma vontade inabalável, depois com massa crítica em todas as áreas científicas, de seguida com todos os comerciantes e leiloeiras de referência, porque todos têm que interiorizar alguma vantagem. Talvez todos seja exagero meu, em todos os processos de mudança há sempre quem fique a perder.
Para concluir, espero que o amigo decida como o meu pai, este ano já correu bem com o branco (o melhor dos últimos anos, e ainda vou a tempo de corrigir a mão para o tinto).
Abraço.
Este tópico, no meu intuito, versa sobre a curiosidade que foi, para mim, encontrar duas moedas do mesmo tipo iconográfico e do mesmo valor facial, em que uma é claramente mais interessante que outra, estando essa outra abstractamente mais bem conservada de acordo com a escala de sheldon. Nesse sentido, achei pertinente ouvir a opinião dos foristas sobre o tema e sobre a escolha que faziam se estivessem no meu lugar.

pmborges
Reinado D.Afonso III
Mensagens: 1795
Registado: quinta mar 04, 2010 2:32 am
Localização: Porto, Portugal

Re: 4 vinténs do Porto de D. João IV - Dúvida terrível...

#15 Mensagem por pmborges » quarta abr 08, 2020 9:50 am

numisiuris Escreveu:
terça abr 07, 2020 10:01 pm
pmborges Escreveu:
terça abr 07, 2020 9:43 pm
numisiuris Escreveu:
terça abr 07, 2020 9:07 pm
A conclusão que retiro é invariavelmente a mesma. Encaixotar cunhagem manual e atribuir-lhe grade é um absoluto desperdício... As moedas de cunhagem manual são peças infungíveis e completamente insusceptíveis de serem avaliadas por estado de conservação.
Percebo o que dizes, na cunhagem manual portuguesa, pois exceptuando as moedas de topo, as cunhagens são de uma maneira geral muito variáveis.
Já no caso da moeda romana se excluirmos o baixo império, acho que é perfeitamente possível sermos objectivos no grade das moedas, sobretudo nos denários.
Mesmo aí não sei...

Começa logo pelo centramento, que nas romanas é muito importante. Que vale mais, um xf45 centrado ou um au50 descentrado?

Depois a patine. Bem, eles disso (às vezes) fazem referência. Mas como compactibilizar isso com o númerozinho do grade?

Para que serve o raio do númerozinho do grade?

Há moedas belas, muito bem conservadas, regulares... Há patines bonitas e patines feias. Há umas que uns acham bonitas e outros feias. Há marteladas precisas e marteladas desenconchavadas. Há de tudo... São peças infungíveis.

Na mecânica, sim. A coisa varia. Como, a não ser que haja erro de cunhagem, elas são todas iguais, é de facto idóneo atribuir um númerozinho científico ao desbaste dos relevos. E pronto. Nessas um compadre já se pode virar para o outro a dizer que ten um émeass, enquanto o outro só tem cheasehéfe.

Na NGC nas romanas é feito um grading, mas sem a escala de Sheldon, apenas o VF, XF Au, etc. Recorre-se é a outros parâmetros como a batida da moeda, a sua superfície, o estilo da moeda, etc.
Rather than Sheldon’s 70-point scale, NGC Ancients will use the adjectival system. In the circulated grades the terms will strictly describe the amount of wear a coin has suffered; however, in the uncirculated grades it will take into account the overall appearance of the coin to distinguish among Mint State, Choice Mint State and Gem Mint State.

However, the Grade is only one of four components of the appearance of ancient coins that we evaluate, the others being Strike, Surface and Style.
Podes ver os parametros melhor aqui: https://www.ngccoin.com/specialty-servi ... NetGrading

Posto isto, de uma maneira geral também não gosto muito de moedas de cunhagem manual encapsuladas, mas compreendo que para alguns seja um factor de valorização na venda direta a colecionadores.
A nível de leiloes de Romanas a única leiloeira que vejo a vender moedas romanas encapsuladas é a Heritage. Nas outras lá pode aparecer uma ou outra, mas é muito raro isso acontecer.

Avatar do Utilizador
numisiuris
Reinado D.Sancho I
Mensagens: 2545
Registado: sexta abr 11, 2014 7:07 am

Re: 4 vinténs do Porto de D. João IV - Dúvida terrível...

#16 Mensagem por numisiuris » quarta abr 08, 2020 10:09 am

Não sabia que nas romanas era assim Pedro. Parece-me uma quase aplicação da nossa escala, com + e -, e escalões um pouco diferentes. Então mas se fazem isso para as romanas, porque não o fazem também para as outras batidas?

Esse desinteresse de que falas em encapsular moeda romana talvez seja sintomático da utilidade do encapsulamento, ainda que com critérios diferentes.

Enfim, o tópico talvez tenha servido para demonstrar todas estas diferenças da moeda batida em relação à mecânica.

pmborges
Reinado D.Afonso III
Mensagens: 1795
Registado: quinta mar 04, 2010 2:32 am
Localização: Porto, Portugal

Re: 4 vinténs do Porto de D. João IV - Dúvida terrível...

#17 Mensagem por pmborges » quarta abr 08, 2020 10:21 am

numisiuris Escreveu:
quarta abr 08, 2020 10:09 am
Não sabia que nas romanas era assim Pedro. Parece-me uma quase aplicação da nossa escala, com + e -, e escalões um pouco diferentes. Então mas se fazem isso para as romanas, porque não o fazem também para as outras batidas?

Esse desinteresse de que falas em encapsular moeda romana talvez seja sintomático da utilidade do encapsulamento, ainda que com critérios diferentes.

Enfim, o tópico talvez tenha servido para demonstrar todas estas diferenças da moeda batida em relação à mecânica.
Apesar de não ter muita lógica e de dever haver de facto uma uniformização nas moedas batidas, acho que isso acontece porque as pessoas responsáveis pelos departamentos são pessoas diferentes. Até os valores cobrados por autenticar moedas Ancient são diferentes. :)
Na parte Ancient da NGC penso que o responsável é o David Vagi (ele aparece de vez em quando na TV no canal história no programa o preço da história).

https://www.youtube.com/watch?v=koy3rI894mc

Avatar do Utilizador
numisiuris
Reinado D.Sancho I
Mensagens: 2545
Registado: sexta abr 11, 2014 7:07 am

Re: 4 vinténs do Porto de D. João IV - Dúvida terrível...

#18 Mensagem por numisiuris » quarta abr 08, 2020 10:38 am

Eu há mais de 15 anos que não vejo televisão. O mundo anda de facto terrivel. Aquela banda sonora logo a iniciar o programa. Até fico com medo. Depois vêm oa idos de Março e lembro-me sempre do triunfo dos porcos. Acho que está bem. É preciso pôr o pessoal a apreciar moedas.

Entretanto fui fazer umas medições. A da direita tem uma circunferência exterior de 23,5mm, e a da esquerda de 21mm. A medição foi feita pelo interior do perolado. Penso que 2,5mm na circunferencia não podem ser um lapso. Para mais o corte do disco é feito pelo limite da circunferência. Estive a olhar melhor para as moedas. A epigrafia é ligeiramente diferente. De qualquer modo, fui ao Ferraro Vaz e também não fala de módulos diferentes. Se para nada fosse, já serviu o tópico para fazer uma descoberta numismática. Vejam o canal história que eu fico aqui a falar sozinho de bom grado! Já depois dos idos de Março! :)

Numis
Reinado D.Afonso IV
Mensagens: 1500
Registado: domingo mai 06, 2007 9:59 am
Localização: Lisboa

Re: 4 vinténs do Porto de D. João IV - Dúvida terrível...

#19 Mensagem por Numis » quarta abr 08, 2020 6:04 pm

Escolha difícil a da direita parece ter a legenda mais completa mas a da esquerda aparenta ter melhores relevos no centro.
Sérgio Fonseca

Responder

Voltar para “D. João IV”