Espada de Dom João V 1706-1750

Desde selos, pins, chávenas, caricas ou outros artigos. Tudo é coleccionável.

Moderador: Moderador de Honra

Mensagem
Autor
furmani
Reinado D.Manuel II
Mensagens: 52
Registado: segunda jun 22, 2020 10:32 am

Espada de Dom João V 1706-1750

#1 Mensagem por furmani » segunda jun 22, 2020 10:50 am

Adquiri recentemente uma espada da altura de Dom João V, confira as fotos abaixo.

As espada tem as inscrições: Viva Dom Joao Qvinto - El Rey de Portugall

Gostaria de saber se alguém me pode ajudar a saber mais informações sobre ela, e eventualmente o seu potencial valor de mercado?

Por exemplo, a espada é ondolada o que pela minha pesquisa indica que não é uma espada de guerra mas talvez uma espada de condecoração ou algo assim?

O meu conhecimento sobre espadas é limitado mas pela a minha pesquisa a espada mais parecida que encontrei é uma espada de Vasco da Ganha que se encontra hoje em dia no Museu Militar de Lisboa: https://www.tripadvisor.com/LocationPho ... tugal.html

Qualquer informação é agradecida.

Muito Obrigado

Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem



Avatar do Utilizador
silvio2
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 6250
Registado: sexta jun 28, 2013 4:10 pm
Localização: Leiria (Distrito)

Re: Espada de Dom João V 1706-1750

#2 Mensagem por silvio2 » segunda jun 22, 2020 1:47 pm

furmani Escreveu:
segunda jun 22, 2020 10:50 am
Adquiri recentemente uma espada da altura de Dom João V, confira as fotos abaixo.

As espada tem as inscrições: Viva Dom Joao Qvinto - El Rey de Portugall

Gostaria de saber se alguém me pode ajudar a saber mais informações sobre ela, e eventualmente o seu potencial valor de mercado?

Por exemplo, a espada é ondolada o que pela minha pesquisa indica que não é uma espada de guerra mas talvez uma espada de condecoração ou algo assim?

O meu conhecimento sobre espadas é limitado mas pela a minha pesquisa a espada mais parecida que encontrei é uma espada de Vasco da Ganha que se encontra hoje em dia no Museu Militar de Lisboa: https://www.tripadvisor.com/LocationPho ... tugal.html

Qualquer informação é agradecida.

Muito Obrigado

CARTA DE INTENÇÕES DO FÓRUM Escreveu: Imagem
É aconselhável que os novos membros, por uma questão de cordialidade e antes de qualquer outra
intervenção no Fórum, façam uma breve apresentação à "nossa comunidade", na respectiva secção (APRESENTAÇÃO), dando a conhecer um pouco de si (pelo menos o nome próprio e a idade ...) aos
restantes membros, para uma "mais fácil empatia e integração no grupo" ... ;)
Cumprimentos,
Sílvio Silva

furmani
Reinado D.Manuel II
Mensagens: 52
Registado: segunda jun 22, 2020 10:32 am

Re: Espada de Dom João V 1706-1750

#3 Mensagem por furmani » segunda jun 22, 2020 3:17 pm

silvio2 Escreveu:
segunda jun 22, 2020 1:47 pm
...
Feito

onlion
Reinado D.Pedro V
Mensagens: 200
Registado: segunda mar 06, 2017 3:30 pm

Re: Espada de Dom João V 1706-1750

#4 Mensagem por onlion » segunda jun 22, 2020 3:28 pm

https://pt.scribd.com/document/38531988 ... omates-pdf

Creio que esse livro fala dessas reproduções

Não tenho acesso mas pode ver pela pesquisa:
https://www.google.com/search?q=%22viva ... e&ie=UTF-8

onlion
Reinado D.Pedro V
Mensagens: 200
Registado: segunda mar 06, 2017 3:30 pm

Re: Espada de Dom João V 1706-1750

#5 Mensagem por onlion » segunda jun 22, 2020 3:52 pm

Peço desculpa mas enganei-me ao apelidá-la de reprodução.
Segue parte do texto que pode explicar:
A patá pode ser considerada um katar em tamanho de espada. O seu nome vem
dos patas (ou pathans), que constituíram uma das muitas subdivisões da casta
dos xátrias (kchatryas), ou guerreiros da Índia, que se empregavam na vida militar,
tanto na sua pátria como em outros países. (7)
Utilizada sobretudo nos reinos maratas, foi também usada pelos Sikhs e pelos
monges guerreiros Rajput. A patá podia ser utilizada pela cavalaria, onde a sua
grande dimensão permitia que fosse uma combinação de espada e lança. Mas
também foi usada na infantaria contra a cavalaria. Em todos os casos eram só os
guerreiros ou monges guerreiros mais experimentados que dela se serviam. Os
seus ângulos de possibilidade de utilização tornaram-na na melhor arma branca
de todos os povos. A combinação de manopla de armadura com espada de lâmina
direita dava-lhe um comprimento idêntico à rapier de sete palmos europeia, cujo
uso civil era proibido por lei. A pata mantinha o adversário a uma distância tal que
a sua espada ou o seu sabre eram curtos demais para poderem entrar em acção.
Assim, esta combinação de manopla defensiva com uma comprida lâmina
ofensiva fez dela a "espada ideal". A única razão pela qual esta magnífica arma
não se divulgou mais pelo mundo foi o facto de exigir uma escola própria que
ensinasse o seu manuseamento, difícil para quem não estivesse devidamente
preparado.
A grande maioria das patas possui lâminas europeias. Poder-se-ia pensar que se
trata de lâminas conquistadas mas não é o caso. Trata-se, sim, de lâminas
deliberadamente importadas para a sua fabricação. A dimensão destas lâminas é
bastante maior do que a das espadas europeias então em uso, devendo-se aos
comerciantes venezianos e portugueses a sua introdução no meio indiano. Como
também houve tropas hindus auxiliares do exército português, podemos encontrar
exemplares com a inscrição: «Viva Portugal» ou «Viva Dom João Quinto-El Rey
de Portugal.»
Os mais antigos exemplares de patas que conhecemos possuem lâminas
europeias do final do séc. XV e início do séc. XVI. Nestes casos pode,
eventualmente, tratar-se de lâminas conquistadas e reaproveitadas porque não
têm comprimento superior ao das espadas europeias. A sua guarda é
extremamente simples na sua evolução. Começou por ser esculpida em madeira
(por vezes torneada e depois escavada), reforçada por algumas bandas de ferro.
Estas, nos modelos posteriores, foram aumentadas e revestidas de cabedal, a tal
ponto que a sua resistência tornou-se maior, desistindo-se da madeira que tão
facilmente se quebrava. O passo seguinte foi a aplicação de tanta chaparia que
dispensava a camada exterior de cabedal, mantendo-se o uso desta matéria-prima
só interiormente, para forro e almofadados.
De arma de uma subcasta guerreira passou para o lugar de honra de arma fidalga,
conhecendo-se exemplares extraordinariamente elaborados e ricamente
embutidos a ouro.

furmani
Reinado D.Manuel II
Mensagens: 52
Registado: segunda jun 22, 2020 10:32 am

Re: Espada de Dom João V 1706-1750

#6 Mensagem por furmani » segunda jun 22, 2020 4:06 pm

onlion Escreveu:
segunda jun 22, 2020 3:28 pm
https://pt.scribd.com/document/38531988 ... omates-pdf

Creio que esse livro fala dessas reproduções

Não tenho acesso mas pode ver pela pesquisa:
https://www.google.com/search?q=%22viva ... e&ie=UTF-8
Obrigado pelas referencias.

Consegui acesso a esse tal livro aqui:

https://viewer.pdfrock.com/download.php ... 877060710e

Mas nao tem as imagens. Há uma referencia no livro a uma espada com as inscrições "«Viva Dom João Quinto-El Rey de Portugal.»" mas penso que não se refere a esta espada pois pelo que percebi estão se a referir a uma espada de guerra, a que eu tenho não me parece de guerra pois é ondulada.

Na pesquisa que fiz encontrei uns leilões passados para outras espadas de defesa com estas inscrições, pode ver aqui:

https://www.jonas.lel.br/peca.asp?Id=4941172

furmani
Reinado D.Manuel II
Mensagens: 52
Registado: segunda jun 22, 2020 10:32 am

Re: Espada de Dom João V 1706-1750

#7 Mensagem por furmani » segunda jun 22, 2020 4:19 pm

onlion Escreveu:
segunda jun 22, 2020 3:52 pm
Peço desculpa mas enganei-me ao apelidá-la de reprodução.
Segue parte do texto que pode explicar:
A patá pode ser considerada um katar em tamanho de espada. O seu nome vem
dos patas (ou pathans), que constituíram uma das muitas subdivisões da casta
dos xátrias (kchatryas), ou guerreiros da Índia, que se empregavam na vida militar,
tanto na sua pátria como em outros países. (7)
Utilizada sobretudo nos reinos maratas, foi também usada pelos Sikhs e pelos
monges guerreiros Rajput. A patá podia ser utilizada pela cavalaria, onde a sua
grande dimensão permitia que fosse uma combinação de espada e lança. Mas
também foi usada na infantaria contra a cavalaria. Em todos os casos eram só os
guerreiros ou monges guerreiros mais experimentados que dela se serviam. Os
seus ângulos de possibilidade de utilização tornaram-na na melhor arma branca
de todos os povos. A combinação de manopla de armadura com espada de lâmina
direita dava-lhe um comprimento idêntico à rapier de sete palmos europeia, cujo
uso civil era proibido por lei. A pata mantinha o adversário a uma distância tal que
a sua espada ou o seu sabre eram curtos demais para poderem entrar em acção.
Assim, esta combinação de manopla defensiva com uma comprida lâmina
ofensiva fez dela a "espada ideal". A única razão pela qual esta magnífica arma
não se divulgou mais pelo mundo foi o facto de exigir uma escola própria que
ensinasse o seu manuseamento, difícil para quem não estivesse devidamente
preparado.
A grande maioria das patas possui lâminas europeias. Poder-se-ia pensar que se
trata de lâminas conquistadas mas não é o caso. Trata-se, sim, de lâminas
deliberadamente importadas para a sua fabricação. A dimensão destas lâminas é
bastante maior do que a das espadas europeias então em uso, devendo-se aos
comerciantes venezianos e portugueses a sua introdução no meio indiano. Como
também houve tropas hindus auxiliares do exército português, podemos encontrar
exemplares com a inscrição: «Viva Portugal» ou «Viva Dom João Quinto-El Rey
de Portugal.»
Os mais antigos exemplares de patas que conhecemos possuem lâminas
europeias do final do séc. XV e início do séc. XVI. Nestes casos pode,
eventualmente, tratar-se de lâminas conquistadas e reaproveitadas porque não
têm comprimento superior ao das espadas europeias. A sua guarda é
extremamente simples na sua evolução. Começou por ser esculpida em madeira
(por vezes torneada e depois escavada), reforçada por algumas bandas de ferro.
Estas, nos modelos posteriores, foram aumentadas e revestidas de cabedal, a tal
ponto que a sua resistência tornou-se maior, desistindo-se da madeira que tão
facilmente se quebrava. O passo seguinte foi a aplicação de tanta chaparia que
dispensava a camada exterior de cabedal, mantendo-se o uso desta matéria-prima
só interiormente, para forro e almofadados.
De arma de uma subcasta guerreira passou para o lugar de honra de arma fidalga,
conhecendo-se exemplares extraordinariamente elaborados e ricamente
embutidos a ouro.
Certo, obrigado mais uma vez.

No texto diz claramente "Lamina direita", por isso penso que não se refere ao mesmo tipo de espada:
A combinação de manopla de armadura com espada de lâmina
direita dava-lhe um comprimento idêntico à rapier de sete palmos europeia, cujo
uso civil era proibido por lei.

Avatar do Utilizador
doliveirarod
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 15601
Registado: terça nov 09, 2004 2:50 am
Localização: Brasil

Re: Espada de Dom João V 1706-1750

#8 Mensagem por doliveirarod » segunda jun 22, 2020 5:38 pm

Não sou perito nisso, mas pelo tipo da lâmina, a ser autêntica de época, era decorativa, pois essa espada com curvas não se usava em batalha no ocidente nessa época, muito menos em Portugal ou Brasil.
Espadas de D. João V já vi aqui (uma me escapou por bobeira), eram de fabricação alemã, estilo rapieiras. Tinham inscrição na lâmina igual ou semelhante a essa aí.

Esse "espadão" teria estilo quinhentista, já em desuso.
http://www.megaleiloes.com/leiloes.php? ... liveirarod ML - http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_14426169
"O colecionador é um homem mais feliz"
DIGA "NÃO" ÀS FALSIFICAÇÕES CHINESAS - Não colabore com mercado criminoso

furmani
Reinado D.Manuel II
Mensagens: 52
Registado: segunda jun 22, 2020 10:32 am

Re: Espada de Dom João V 1706-1750

#9 Mensagem por furmani » segunda jun 22, 2020 6:35 pm

doliveirarod Escreveu:
segunda jun 22, 2020 5:38 pm
Não sou perito nisso, mas pelo tipo da lâmina, a ser autêntica de época, era decorativa, pois essa espada com curvas não se usava em batalha no ocidente nessa época, muito menos em Portugal ou Brasil.
Espadas de D. João V já vi aqui (uma me escapou por bobeira), eram de fabricação alemã, estilo rapieiras. Tinham inscrição na lâmina igual ou semelhante a essa aí.

Esse "espadão" teria estilo quinhentista, já em desuso.
Pelo que li na minha pesquisa, espadas onduladas eram normalmente usadas em condecurações, como por exemplo a espada do Vasco da Gama que se encontra no museu militar de Lisboa, li algures que essa espada foi usada por uma condecoração feita ao Vasco da Gama.

https://www.tripadvisor.com/LocationPho ... tugal.html

Em relação ás espadas de fabricação alemã que referiu, tem algum link que referencie?

caso não tenha link, lembra-se à quanto tempo foi?

Muito Obrigado

Avatar do Utilizador
doliveirarod
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 15601
Registado: terça nov 09, 2004 2:50 am
Localização: Brasil

Re: Espada de Dom João V 1706-1750

#10 Mensagem por doliveirarod » quinta jun 25, 2020 3:14 am

Em relação ás espadas de fabricação alemã que referiu, tem algum link que referencie?
Aqui imagens que me serviram de referências. Perdi uma peça dessas faz uns anos, por puro desconhecimento meu...
esp1.png
esp2.png
Essa seria a espada dos oficiais de menor patente. Era aço alemão (como a maioria das peças do império do Brasil). Essa era uma peça de uso corrente, estilo rapieira.

A sua não seria mais usada em campo, seria decorativa ou cerimonial, isso se for autÊntica. Estude a peça, leve em consideração que pode ser dessas feitas em toledo. Sabe a origem?
Não tem Permissão para ver os ficheiros anexados nesta mensagem.
http://www.megaleiloes.com/leiloes.php? ... liveirarod ML - http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_14426169
"O colecionador é um homem mais feliz"
DIGA "NÃO" ÀS FALSIFICAÇÕES CHINESAS - Não colabore com mercado criminoso

Responder

Voltar para “Outros tipos de coleccionismo”