A Moeda de 1 Centavo de 1922

Desde a primeira moeda da República até às últimas em 2001

Moderadores: smertola, Moderador de Honra

Mensagem
Autor
Avatar do Utilizador
Jorge Silva
Moderador
Mensagens: 8019
Registado: terça mai 09, 2006 5:57 pm
Localização: Moita

Re: A Moeda de 1 Centavo de 1922

#51 Mensagem por Jorge Silva » segunda out 07, 2013 8:55 pm

Nem mesmo a propósito, tem o mesmo cunho que a minha.


Cumprimentos

Jorge Silva

" A medalha deve ser acarinhada como uma arte nobre da escultura ".

https://betaleiloes.net/os_meus_leiloes.php

Avatar do Utilizador
tm1950
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 10700
Registado: sexta nov 05, 2004 10:15 pm
Localização: S. João do Estoril - Lisboa

Re: A Moeda de 1 Centavo de 1922

#52 Mensagem por tm1950 » segunda out 07, 2013 9:35 pm

carrancho Escreveu:Não fazia ideia de como se tinha essa moeda tornado rara e ingénuamente pensei que as que existem fossem todas do mesmo cunho. Aliás, estava um pouco baralhado com as caraterísticas das moedas, porque a ser como eu pensava todas as 6 teriam sido FDC. :asdf:

De qualquer forma não me parece que mesmo com outros cunhos pudessem existir diferenças tão evidentes entre moedas como é notório por exemplo na data. Pelo menos uma não deverá ser genuína. :think:
Não sei como se passavam as coisas em 1920, mas talvez não fossem muito diferentes da actualidade:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Em função do número de moedas que eram pretendidas seriam produzidos os cunhos necessários a essa produção.
Os cunhos seriam todos iguais, ou quase, e toda a cunhagem seria feita com esses cunhos, não devendo aparecer grandes diferenças na amoedação, para além dos problemas normais da cunhagem: cunhos partidos, cunhos entupidos, descentragens, e outros.
Celso.
Saúde e Fraternidade.
Os meus leilões

Avatar do Utilizador
Jorge Silva
Moderador
Mensagens: 8019
Registado: terça mai 09, 2006 5:57 pm
Localização: Moita

Re: A Moeda de 1 Centavo de 1922

#53 Mensagem por Jorge Silva » segunda out 07, 2013 10:00 pm

E cunhos muitissimo cansados.
Cumprimentos

Jorge Silva

" A medalha deve ser acarinhada como uma arte nobre da escultura ".

https://betaleiloes.net/os_meus_leiloes.php

Avatar do Utilizador
Tiago6
Reinado D.Afonso II
Mensagens: 2307
Registado: sábado nov 06, 2004 10:42 pm
Localização: Funchal

Re: A Moeda de 1 Centavo de 1922

#54 Mensagem por Tiago6 » sexta out 11, 2013 11:57 am

Alguém conhece o resultado do leilão?

Avatar do Utilizador
tm1950
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 10700
Registado: sexta nov 05, 2004 10:15 pm
Localização: S. João do Estoril - Lisboa

Re: A Moeda de 1 Centavo de 1922

#55 Mensagem por tm1950 » sexta out 11, 2013 1:05 pm

A moeda não teve licitações.
Julgo saber que, em todo o processo, a leiloeira procurou ter uma atitude responsável procurando salvaguardar as três partes (vendedor; comprador e a própria leiloeira). Entrou em contacto com a NGC que imediatamente se disponibilizou para analisar novamente a moeda e assumir as responsabilidades decorrentes do processo.
A NGC já tinha sido contactada por terceiros, tendo-lhe sido apresentados argumentos que ajudariam a concluir que o exemplar tem boas hipóteses de ser falso.
Celso.
Saúde e Fraternidade.
Os meus leilões

RuiFB
Reinado D.Sancho I
Mensagens: 2596
Registado: sábado nov 06, 2004 12:18 am

Re: A Moeda de 1 Centavo de 1922

#56 Mensagem por RuiFB » sexta out 11, 2013 2:16 pm

Admito que nas moedas americanas essas certificações possam ter alguma mais valia, pois são altamente especializados, para moeda estrangeira, romana, medieval... valem zero, nunca confiar nem deixar de analisar uma moeda encaixotada... A grande mais valia será a sua opinião sobre o estado de conservação.

Se a moeda fosse com toda a certeza boa, teria ido parar à Numisma, não a um leilão de terceira linha ao nível numismático.

Avatar do Utilizador
Jorge Silva
Moderador
Mensagens: 8019
Registado: terça mai 09, 2006 5:57 pm
Localização: Moita

Re: A Moeda de 1 Centavo de 1922

#57 Mensagem por Jorge Silva » sexta out 11, 2013 10:55 pm

E eu a pensar que tinha uma mais valia (chinesa).
Cumprimentos

Jorge Silva

" A medalha deve ser acarinhada como uma arte nobre da escultura ".

https://betaleiloes.net/os_meus_leiloes.php

Avatar do Utilizador
Hamokes
Reinado D.Miguel
Mensagens: 328
Registado: terça set 24, 2013 10:23 pm
Localização: Loures

Re: A Moeda de 1 Centavo de 1922

#58 Mensagem por Hamokes » sábado out 12, 2013 7:03 pm

Grande historia...
Esconde mais segredos que uma amante....
"O valor justo de uma moeda é demasiado baixo para o Vendedor e demasiado alto para um comprador"
Veja os meus Leilões em :
http://megaleiloes.pt/LEILOES-DE-Hamokes

Indy
Reinado D.Miguel
Mensagens: 326
Registado: quinta mar 05, 2009 10:37 pm
Localização: Faro

Re: A Moeda de 1 Centavo de 1922

#59 Mensagem por Indy » domingo fev 16, 2014 11:50 am

MAIS UMA HISTÓRIA ACERCA DO MOEDA DE 1 CENTAVO DE 1922, DITA DA «GAIOLA»: UMA HIPÓTESE ... UMA TESE

Remexendo em papelada antiga, lá fui encontrar o CATÁLOGO DE MOEDAS E NOTAS DE PORTUGAL E EX-COLÓNIAS, referente ao ano de 2001, da autoria do Senhor F. Ferreira da Silva e editado pela Galeria Filatélica e Numismática do Porto, o qual, já algum tempo que o procurava. Eu tinha uma vaga ideia de já ter visto a reprodução fotográfica do reverso de uma moeda de 1 Centavo de 1922, inserta, precisamente, na contracapa de um Catálogo de Numismática de bolso. Para meu contentamento, finalmente, consegui localizá-lo.
A imagem da moeda inserta no referido Catálogo vale o que vale: todos nós sabemos que a mesma pode ter sido copiada, forjada, adulterada, manipulada, alterada, mexida propositadamente, sabe-se lá, até ... por brincadeira, etc.. Não conheço ao autor do Catálogo, nem os outros colaboradores do mesmo. Certamente que seria esclarecedor obter, de viva voz, as respectivas versões acerca da face da moeda fotografada. De qualquer maneira, admitamos , POR HIPÓTESE, que a imagem reproduzida retrata fielmente uma face de uma moeda de 1 Centavo de 1922. Nela pode constatar-se que:
a) A moeda não está limpa (ou foi «suja» propositadamente)
b) A moeda tem uma considerável mazela na legenda: POR (...) ESA, no reverso
c) Essa mazela pode ser compaginável com o facto da moeda ter sido «soldada» na porta de uma «gaiola» de pássaro servindo de batente.

Há mais de 45 anos que ouvi falar, pela primeira vez, da existência da moeda de 1 Centavo de 1922, dita da «GAIOLA».
Na década de 60 do século passado, os principais pontos de compra e venda de moedas antigas, em Lisboa, seriam: a Feira da Ladra; as casas de velharias/antiguidades; alguns ourives; já teria ocorrido um ou outro encontro na Arcadas do Terreiro de Paço, aos domingos de manhã (com «corridas» efectuadas pela PSP / PIDE) e as casas de câmbio. Na Baixa de Lisboa existiam vários cambistas. Entre os mais conhecidos, lembro-me do J. Burnay - cambista, situado na Rua do Ouro. Nesse tempo, eu era um jovem adolescente iniciado no coleccionismo de moedas antigas e quando tinha alguma disponibilidade financeira, lá ia ao J. Burnay comprar alguma moedita: cobres e pratas da Primeira República. O Senhor Pedro Capitão, respeitável funcionário da casa, tinha sob sua responsabilidade o negócio das moedas antigas. Eu procurava comprar os cobres e as pratas mais baratinhos, e ele tirava, ao calha, a moeda pretendida de um dos enormes tabuleiros de madeira, com divisórias, contendo moedas a granel (ainda não havia alvéolos). Curiosamente, a maior parte das moedas mais vulgares estava num estado de conservação muito elevado, de Belas a Soberbas. Ele metia a lupa e atirava com preço: 2$50; 4$00, etc.
Certo dia, estando eu na J. Burnay, pude constatar o estado de euforia do Senhor Pedro Capitão. Ele apregoava, aos quatro ventos, o bom negócio efectuado na véspera. Teria vendido um lote de moedas antigas por 200 contos (muito dinheiro para a época), onde teria incluído, entre outras, a moeda de 1 Centavo de 1922, que teria servido como batente (e não como anilha) na porta de uma «gaiola» de pássaro. A moeda teria um defeito na zona onde tinha sido «soldada». A compra teria sido feita por um cavalheiro, cliente habitual, cujo negócio era a compra de objectos pequenos, mas de valor elevado, que levava para as Colónias, em particular Angola e Moçambique, onde as vendia, por bom preço, na moeda local. Os compradores pagavam bem e quando vinham à Metrópole, de férias ou em negócios, traziam os objectos comprados que tornavam a vendê-los cá, em escudos do Continente. Para se compreender bem este negócio, convém acrescentar que o câmbio entre a moeda corrente nas Colónias e o escudo da Metrópole era muitíssimo limitado: havia plafonds apertados; o processo era moroso e a taxa de câmbio era muito desfavorável às moedas coloniais. Com o evoluir da guerrilhas, nas três frentes de combate, havia muitos colonos que preferiam perder na taxa de câmbio, mas asseguravam no Continente, um pé de meia, em escudos.
Nunca mais pensei no assunto até que se começou a popularizar o coleccionismo numismático, particularmente, a partir de 1972/1973, em que a substituição das alpacas pelos bronzes, a meu ver, teria tido um papel determinante.
Não há muito tempo, relatei este episódio a um especialista em Numismática que muito considero, o qual me informou que, tanto quanto sabia, esse centavo de 1922, dito da «gaiola» teria sido restaurado e posteriormente vendido em Lisboa, já neste século.
A minha TESE, e ao mesmo tempo interrogação é a seguinte: será que a imagem do centavo apresentado no Catálogo refere-se a 1 dos 6 exemplares conhecidos, estando 1 deles com um bom restauro?


Imagem
Imagem
Imagem

________
Acácio

Responder

Voltar para “República Portuguesa”