Ensaio de 100$ não catalogado

Desde a primeira moeda da República até às últimas em 2001

Moderadores: smertola, Moderador de Honra

Mensagem
Autor
Avatar do Utilizador
EUROESCUDO
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 4916
Registado: sábado mar 07, 2009 12:07 pm
Localização: Maia - Porto - Portugal
Contacto:

Re: Ensaio de 100$ não catalogado

#21 Mensagem por EUROESCUDO » quarta mar 07, 2012 8:59 pm

Amigo Alves, também desconheço qualquer informação sobre este Ensaio, em breve pesquisa encontrei vários, do qual um exemplar será UNIFACE.!!!
É provável que existam outros que o A.G. não menciona, esperemos a nova Edição da "Bíblia do coleccionador" :D


C/ Melhores cumprimentos:
M E N D E S
€uroe$cudo

Consulta Rápida do Fórum ---- Literatura On-line [PDF]

Avatar do Utilizador
josape
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 6005
Registado: quarta dez 17, 2008 11:21 pm
Localização: Ponte-Guimarães

Re: Ensaio de 100$ não catalogado

#22 Mensagem por josape » quarta mar 07, 2012 10:10 pm

Bonito ensaio, parabéns .
José Pereira

RuiMFRelvas
Senhor Escudo da I República
Mensagens: 26
Registado: segunda out 31, 2011 6:37 pm

Re: Ensaio de 100$ não catalogado

#23 Mensagem por RuiMFRelvas » quinta mar 08, 2012 12:38 pm

Caros,

Desculpem esta intervenção, mas esta peça, pode ser qualquer "coisa", mas ensaio/prova, nunca. Vir no catalogo como tal, é um erro, "ou interesses", que em minha opinião, não deveriam ter acontecido...

Passo a explicar:
"Imprensa Nacional Casa da Moeda", não é o mesmo que "Republica Portuguesa"... 100 ou 200 que?

Lembrem-se dos "Ecus", tinham o incm gravado, mas nunca deixaram de ser medalhas, feitas na casa da moeda, a mando de um particular.

Já agora, onde colocamos, as medalhas, fichas e todos os outro tipos de cunhagens efectuadas na casa da moeda?

A verdade é que a simples colocação dessas "coisas" no catalogo Alberto Gomes, lhe deu um valor que de outra forma nunca teriam obetido.

Se virem os ensaios, que desde D.Maria II, ate aos nossos dias, todos obedecem a um tipo, e forma especifico ( excepto para os ensaios tipo de "Bruxelas" que foram provas industriais). Todos mostram o nome do Monarca/Republica, ou pelo menos as armas. Por norma seriam para Aprovar/Mostrar o tipo da nova moeda, desenho, metal.

Quanto ás provas, já o seu intuito, era bem diferente. Em principio foram criadas, para serem enviadas aos bancos centrais de outros paises a fim de se saber que moeda corria no país. A razão porque acabaram por ficar na casa da moeda, essa desconheço.

Muitos discordara desta minha opinião, estão no seu direito. E cada um compra o que gosta.

Apenas refuto, que a peça em questão não é por ser colocada num catalogo, como ensaio/prova, que passa a se-lo.

Abraços

Rui Relvas

Avatar do Utilizador
palves
Reinado D.Afonso II
Mensagens: 2358
Registado: segunda jan 11, 2010 11:02 am

Re: Ensaio de 100$ não catalogado

#24 Mensagem por palves » quinta mar 08, 2012 1:09 pm

Vamos por partes:

Em primeiro lugar, ao contrário das medalhas, fichas etc... Esta "coisa" não foi feita para ser vendida, não foi feita para ser trocada, não foi feita para circular e por aí fora. Por definição esta "coisa", nunca devia ter saído da INCM. Ao contrário, e por exemplo, as "medalhas" ECU foram produzidas com fins comerciais. Portanto, ao colocar nessa classificação de medalha ou ficha também estamos a errar, pois não serve funções de tal.

Em segundo lugar, os critérios que apresentou falham, a título de exemplo, nas seguintes "coisas" catalogadas e que penso que classificaria como ensaio/prova (AG 2003):
E5.05, E6.18-20, E9.06-08, E9.11-12 uniface, não apresentam "república portuguesa"
E4.08-10, E4.11-13: não têm data ou têm data incompleta
E5.01: tem duas faces com o valor, sem data e sem "república portuguesa"
E14.31: não apresenta valor, data, nem "república portuguesa"

Nesta data a INCM já era uma instituição mais organizada e com hierarquias e mecanismos de controlo próximos aos que tem hoje, por isso não seria qualquer funcionário que decidiria começar a abrir cunhos e utilizar os discos com exactamente o mesmo peso, medida, espessura que as moedas de 100$ comemorativas. Tem de haver um objectivo organizacional.

Há uma outra justificação, a apresentada pelo Tiago, e que acontecia há cunhos para para calibrar e testar máquinas.

Os ensaios/provas não têm regras nem sequer temos informação, apenas sabemos de alguns que vieram cá para fora "agarrados aos bolsos" de alguém. Por exemplo, tive na mão 5$ da série iniciada em 1963 feita em alumínio também não está catalogado.

Alguns como este são mais feios porque não foram feitos para testar moedas, mas sim para testar as máquinas.

Rui, a sua opinião é perfeitamente pacífica e não me choca, pessoalmente o facto desta "coisa" se encaixar numa zona negra das classificações moeda/ensaio/prova/erro/teste/.... é para mim um aspecto positivo. Dos outros sabemos muito destes sabemos muito pouco. Não me compete redefinir o conceito que vulgarmente é utilizado

Por isso vamos ao que interessa: Está na minha capa classificado como ensaio e gosto desta "coisa", com base neste último critério dei alguns euros (não muitos) para a ter cá em casa. A partir daqui estamos a discutir o sexo dos anjos.

RuiMFRelvas
Senhor Escudo da I República
Mensagens: 26
Registado: segunda out 31, 2011 6:37 pm

Re: Ensaio de 100$ não catalogado

#25 Mensagem por RuiMFRelvas » sexta mar 09, 2012 4:49 pm

Alves,

A excepção confirma a regra…

Os ensaios unifaces,- normalmente surgem em metal diferente, e é utilizado um cunho aprovado. Sabemos que em determinadas alturas o custo do metal e do seu fabrico, era superior ao da moeda.
Veja o que, provavelmente, aconteceu, quando se quis alterar o metal das moedas de 10 centavos. Utilizaram-se os mesmos cunhos, em discos de alumínio.

Os ensaios sem data ou data incompleta – era feito uma matriz, que depois se utilizava para abrir os vários cunhos. Depois gravavam-se os números em falta. Assim uma matriz seria utilizada em vários anos. Existem moedas em que os últimos números da data estão em posição diferente, ou são mesmo diferentes. Os 50 centavos de 1926, segunda matriz, têm pelo menos dois tipos de 6 diferentes.

No E5.01 tem razão, mas pelos menos tem as armas

No E14.31 é uma variante a um tipo não aprovado de moeda.

Os ensaios, tiveram uma razão de ser. Para ver a moeda em tamanho real, estudar, analisar, aprovar… e outras mais serventias. Mas também tiveram regras bem definidas.

Não quero, nem pretendo desvalorizar essa peça, e desculpe não usar o nome de ensaio ou prova, pois que não a considero como tal. E para que não fiquem duvidas, também tenho uma peça dessas. Na altura deixei-me levar pelo “Alberto Gomes”. Tive também a oportunidade de comprar a de 100, mas já não quis.

Deixo aqui um exemplo, não sei se conhece as fichas vulgo “ponte D.Luis”, tinham um valor, e em certa altura a população do Porto, aceitavam-nas como meio de pagamento. Se tivessem sido colocadas no catálogo AG, passavam a ser moedas?

Não sei com que intuitos foram cunhadas. Podem ter sido para afinar máquinas…. Eu sei lá. Mas custa-me aceitar que se enquadrem nos ensaios ou provas. O tamanho para mim não passa de uma feliz coincidência…

E há interesses muito difíceis de explicar…. Veja o que esta a passar-se com as moedas falsas que tem aparecido, em que muito se fala, mas não se tocam em nomes… claro que com um preço de 750€

Quanto ao seu comentário, sobre ter uma moeda de 5 escudos em alumínio, tenho em minha colecção também o 5 escudos de 1987, uma em cobre e outra em cupro-niquel. A explicação para isso, encontro-a no facto de uma mistura de discos.
Esse tipo de “defeitos” deveriam ser eliminados na escolha das moedas, mas ainda hoje se encontram defeitos nos trocos, por isso…

Historias na casa da moeda, ouviram-se muitas…

- a do senhor que está/”foi” a ser julgado por peças(filatélicas) que deveriam estar na casa da moeda e não estão.

- os 25 escudos de 1984 eixo vertical

- a venda de provas e ensaios, principalmente coloniais.

E outras mais, que pô-las por escrito podem acarretar todo tipo de problemas… mas off- record, terei todo o prazer de “lhe vender o peixe que me foi vendido”.

Cumprimentos
Rui Relvas

Avatar do Utilizador
palves
Reinado D.Afonso II
Mensagens: 2358
Registado: segunda jan 11, 2010 11:02 am

Re: Ensaio de 100$ não catalogado

#26 Mensagem por palves » sexta mar 09, 2012 5:14 pm

Rui, acho que estamos a apontar para a mesma direcção com linguísticas diferentes...

Classifico-a como ensaio/prova/teste da INCM e nunca lhe chamei ou chamarei moeda. Isto para mim não é moeda, mas sim uma "coisa" estranha que a INCM produziu (sei a proviniência) que teve um fim específico associado a funções que rodam à volta da numismática e o interesse que tenho nela vem daí. .

Por exemplo, gostava de ter um cunho e isso não é claramente uma moeda, não vem no AG, mas que eu gostava de ter um ai isso gostava... :)

Terei MUITO gosto em discutir off-record estas coisas e muitas outras, se andar pelo Porto ou Aveiro fica já o convite para um café.

Abraço,
Paulo Alves

viriato64
Senhor Escudo da I República
Mensagens: 31
Registado: quarta fev 01, 2012 2:11 pm

Re: Ensaio de 100$ não catalogado

#27 Mensagem por viriato64 » terça jan 28, 2014 3:41 pm

Gostei e aprendi imenso com os vossos comentários.
Obrigado

José Santana

Responder

Voltar para “República Portuguesa”