960 Réis - duvidas

Moderador: Moderador de Honra

Mensagem
Autor
Avatar do Utilizador
tm1950
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 10650
Registado: sexta nov 05, 2004 10:15 pm
Localização: S. João do Estoril - Lisboa

#11 Mensagem por tm1950 » quarta set 19, 2007 7:58 pm

Excelente trabalho!

Desafio os foristas a apresentarem os seus patacões para discussão. ;)
Última edição por tm1950 em terça abr 20, 2010 9:53 am, editado 1 vez no total.


Celso.
Saúde e Fraternidade.
Os meus leilões

Martins
Reinado D.Afonso VI
Mensagens: 687
Registado: terça jul 05, 2005 4:03 pm
Localização: Portugal

#12 Mensagem por Martins » quarta set 19, 2007 8:54 pm

http://forum-numismatica.com/viewtopic. ... t=960+reis
Pode ser o meu o primeiro :biggthumpup: .
Excelente trabalho. ;)
Meus parabens

Avatar do Utilizador
António Carlos Diogo
Reinado D.Afonso III
Mensagens: 1790
Registado: sábado out 21, 2006 5:08 pm
Localização: Aveiro

#13 Mensagem por António Carlos Diogo » quarta set 19, 2007 9:28 pm

Parabéns por toda a investigação... traduzida no trabalho até agora exposto. :biggthumpup:

António Diogo

Avatar do Utilizador
numismatica_bentes
Reinado D.Filipe II
Mensagens: 849
Registado: quarta set 19, 2007 1:01 pm
Localização: Italia
Contacto:

#14 Mensagem por numismatica_bentes » quarta set 19, 2007 10:00 pm

Agradeçemos a atenção dispensada por todos os foristas até o momento. Ficamos extremamente felizes em saber que nossas pesquisas tem sido de agrado de todos e que possamos contribuir para o enriquecimento do assunto.

Com relação a sua moeda, Martins, de acordo com o o que pude ver, se trata de um 960 Réis 1820 R (portanto Reino Unido), variante Lupércio CR 21A comum (o CR indica que no diadema existem losangos e cruzetas), recunhado sobre um 8 reales Ferdin VII (Ferdinando VII) busto de indio provavelmente, devido aos traços da moeda base visíveis entre os "0"'s de 960 e 1820, cunhado na Casa da Moeda de Lima, no Peru, gravadores JP (visível no braço direito da cruz, no reverso). Quanto ao estado de conservação ... bem, creio que a moeda esteja entre mbc e bela, como já dito no link citado.

esperamos ter sido de ajuda ;)

_________________
FELIZ NATAL A TODOS !
http://www.youtube.com/watch?v=rST_U9TWK4o
http://numismaticabentes.blogspot.com/
Última edição por numismatica_bentes em sexta dez 03, 2010 11:52 am, editado 2 vezes no total.

Avatar do Utilizador
numismatica_bentes
Reinado D.Filipe II
Mensagens: 849
Registado: quarta set 19, 2007 1:01 pm
Localização: Italia
Contacto:

#15 Mensagem por numismatica_bentes » quinta set 20, 2007 6:30 am

960 Réis - continuação.

Outras contramarcas de 960 Réis

-Carimbo Mato Grosso
-Carimbo Cuyaba (escrito por extenso)
-Carimbo 960 com a letra C (Cuyaba)


Carimbo Mato Grosso – Contramarca bifacial e circular de aproximadamente 17mm de diâmetro e limitado por uma cercadura de traços radiais, tendo no anverso o escudo Português encimado pela coroa real, arrematada por cruz latina singela. Possui legenda circular posicionada abaixo do escudo com os dizeres “MATO GROSSO”. Não possui o valor de 960 como nos “Carimbos de Minas”. Criado em conformidade com a Provisão Régia de 11 de abril de 1818 com a finalidade de carimbar, na casa de fundição de Vila Bela, as moedas hispano-americanas que circulavam naquela região. Quando esta contramarca foi criada, os “carimbos de Minas” já não mais existiam, pois nessa época já circulavam as moedas com “ cunhos plenos” de 960 Réis. Note que o carimbo MATO GROSSO surgiu 10 anos depois da criação dos famosos “Carimbos de Minas”. São raríssimos os exemplares em que se pode ler, nitidamente, a legenda MATO GROSSO. São conhecidos exemplares sobre CAROLUS III – POTOSI, FERDINANDO VII – POTOSI e sobre SOL ARGENTINO, todos igualmente raros.

Imagem

Figura - Moeda hispano-americana de 8 Reales (Ferdinando VII - POTOSI) com carimbo MATO GROSSO.
Última edição por numismatica_bentes em segunda mar 30, 2009 6:20 pm, editado 2 vezes no total.

Avatar do Utilizador
numismatica_bentes
Reinado D.Filipe II
Mensagens: 849
Registado: quarta set 19, 2007 1:01 pm
Localização: Italia
Contacto:

#16 Mensagem por numismatica_bentes » quinta set 20, 2007 6:35 am

Carimbo Cuyaba – Contramarca bifacial e circular de aproximadamente 17mm de diâmetro, limitada por uma cercadura de traços radiais, tendo no anverso o escudo Português encimado pela coroa real, arrematada por cruz latina singela. Possui legenda circular posicionada abaixo do escudo com os dizeres CUYABA por extenso, com “Y” e sem acentuação gráfica. Este carimbo foi aplicado a partir do final do ano de 1820, sendo que os exemplares conhecidos das moedas hispano-americanas que receberam esta contramarca, figuram apenas os 8 Reales de Carolus IIII. Raríssimos são os exemplares em que a legenda CUYABA pode ser lida nitidamente. Dois belíssimos exemplares desta moeda que pertenciam à coleção Moura, sendo que em um deles lê-se perfeitamente a palavra CUYABA e no outro as letras CUYA (CUYABA com a letra A pouco visível e as letras B e A de BA, ilegíveis), foram leiloados em 1998 e hoje pertencem a um colecionador da cidade de Curitiba (Paraná). Igualmente raros são os carimbos CUYABA (completo ou incompleto), aplicados sobre o carimbo MATO GROSSO. Uma medida retaliativa, talvez, pois depois da casa de fundicão de Vila Bela (onde eram aplicados os carimbos MATO GROSSO) ter sido deslocada para a vila de Cuyaba, os cuiabanos decidiram (mesmo o carimbo não trazendo nenhuma alusão à cidade rival, Vila Bela) tirar de circulação os exemplares que tivessem recebido puncão em tal lugar, recarimbando assim com um carimbo novo – CUYABA - todas (ou quase) as peças com a escrita MATO GROSSO.

Imagem

Figura - Devido ao elevadíssimo grau de raridade e por não possuirmos sequer uma imagem desta extremamente rara e bela moeda em nosso acervo, colocamos esta imagem para que os numismatas possam ter uma noção.

Avatar do Utilizador
numismatica_bentes
Reinado D.Filipe II
Mensagens: 849
Registado: quarta set 19, 2007 1:01 pm
Localização: Italia
Contacto:

#17 Mensagem por numismatica_bentes » quinta set 20, 2007 6:44 am

Carimbo 960 com a letra C – Contramarca bifacial e circular de aproximadamente 17mm de diâmetro, limitada por uma cercadura de traços radiais, tendo no anverso o valor 960, limitado abaixo pela letra C e acima pela coroa real arrematada por cruz latina singela, ladeado por dois ramos frutificados de louro que se cruzam na parte inferior. No reverso encontramos as armas do Reino Unido (escudo Português sobre esfera armilar). Este carimbo apresenta três variantes principais de cunho:

1)A letra ”C” sem pontos,
2)A letra “C.” com um ponto e
3)A letra “.C.” entre dois pontos.

Os três tipos igualmente difíceis de serem encontrados, principalmente se em bom estado de conservação. Um caso à parte é o mesmo carimbo aplicado sobre carimbo de MATO GROSSO, considerado da mais alta raridade. E a causa da existência de tal variante e a mesma da peça CUYABA por extenso sobre MATO GROSSO.

Imagem

Figura - Carimbo "C" (sem pontos) sobre moeda hispano-americana de 8 Reales de Carolus IIII.

Imagem

Figura - Carimbo ".C." (com pontos) sobre moeda hispano - americana de 8 Reales de Carolus IIII.

Avatar do Utilizador
numismatica_bentes
Reinado D.Filipe II
Mensagens: 849
Registado: quarta set 19, 2007 1:01 pm
Localização: Italia
Contacto:

#18 Mensagem por numismatica_bentes » quinta set 20, 2007 7:54 am

Reconhecendo a base

Um dos fatores que irá determinar o grau de raridade dos “carimbos de Minas” é justamente a base em que as contramarcas foram aplicadas. Para isso devemos levar em consideração dois aspectos:

1) As moedas que possuem o busto do soberano e

2) as que não possuem o busto do soberano, conhecidas como colunários, ou mundos e mares. Em seguida vem a identificação da origem da moeda ou seja, a casa da moeda onde foi cunhada. Sendo assim, temos:

1) MOEDAS COM O BUSTO DO SOBERANO.

Imagem

Figura - Moeda hispano-americana de 8 reales, com o busto do soberano (Carolus III, Carolus IV, Ferdinando VII, etc).

Obs: Ainda existem moedas com o nome de um soberano e o busto de outro, como e o caso, por exemplo da moeda de Carlos IV, com o busto de Carlos III, ou Ferdinando VII, com o busto de Carlos IV (casa da moeda de Popayán).

2) MOEDAS QUE NÃO POSSUEM O BUSTO DO SOBERANO ( COLUNÁRIOS ).

Imagem

Figura - Cunhadas durante o reinado de Carolus III, estas moedas possuem no anverso, a alegoria dos dois mundos cercados pelos dois pilares de Hércules, representando o estreito de Gibraltar (considerado o fim do mundo conhecido até então).

Avatar do Utilizador
numismatica_bentes
Reinado D.Filipe II
Mensagens: 849
Registado: quarta set 19, 2007 1:01 pm
Localização: Italia
Contacto:

#19 Mensagem por numismatica_bentes » quinta set 20, 2007 8:16 am

Identificado o tipo de moeda (busto ou colunário), o segundo passo e determinar a casa da moeda em que a base foi cunhada. Isto se faz, identificando a letra monetaria. Na moeda do tipo busto, a letra monetária encontra-se na legenda de reverso, entre “REX” e “8R”.

Imagem

Figura - No detalhe, podemos identificar a letra monetária da Casa da Moeda de Potosi. Sendo assim, podemos classificar esta base como sendo um 8 Reales, Carolus IIII de Potosi.

Imagem

Figura - No detalhe, podemos identificar a letra monetária da Casa da Moeda de Santiago. Sendo assim, podemos classificar esta base como sendo um 8 Reales, Carolus IIII de Santiago.

Obs: Os Carimbos de Minas sobre moeda de Santiago, são sempre raros, sendo raríssimo se o soberano for Carolus III.
Sobre moeda de Potosi são comuns, em se tratando de Carolus IIII. Todavia, os Carimbos de Minas sobre Potosi de Carolus III são raros e sobre os Colunários, raríssimos.
Os carimbos de Minas sobre Carolus IV e Ferdinando VII, são extremamente raros.
Mais adiante, isto será explicado de forma mais abrangente.
Última edição por numismatica_bentes em segunda mar 30, 2009 4:43 pm, editado 1 vez no total.

Avatar do Utilizador
numismatica_bentes
Reinado D.Filipe II
Mensagens: 849
Registado: quarta set 19, 2007 1:01 pm
Localização: Italia
Contacto:

#20 Mensagem por numismatica_bentes » quinta set 20, 2007 9:02 am

Já, na moeda de “COLUNÁRIO”, a letra monetária localiza-se no anverso, onde se encontram os dois mundos e as colunas de Hércules.
A marca situa-se na legenda, entre florões, posicionada à direita e também à esquerda da data.

Imagem

A marca M° identifica a casa da moeda da Ciudad del Mexico. (A marca M localiza-se na orla,junto a data).

Figura - Sendo assim, podemos identificar esta base como sendo um “8 Reales COLUNÁRIO, MÉXICO”

Nota: As moedas de COLUNÁRIO com contramarcas de 960 Réis são, em geral, mais raras que as outras moedas hispano-americanas com o mesmo carimbo. Porém existem algumas extremamente raras cujo carimbo não foi aplicado sobre moeda de Colunário. É o caso, por exemplo,do carimbo de 960 Réis aplicado sobre 8 reales de Ferdinando VII, que é raríssimo (são conhecidas apenas 4 Carimbos de Minas, aplicados sobre moeda de Ferdinando VII).

Imagem

Figura - Carimbo de Minas sobre moeda hispano-americana de 8 Reales FERDIN VII 1809 México (da mais alta raridade).

Responder

Voltar para “Colónia (1500-1822)”