2 - romana a examinar

Moderadores: Paul Gerritsen Plaggert, Marcelo Leal, Moderador de Honra

Responder
Mensagem
Autor
fzpinto
Reinado D.Luís
Mensagens: 154
Registado: sexta nov 05, 2004 11:01 pm

2 - romana a examinar

#1 Mensagem por fzpinto » sábado abr 09, 2005 10:27 pm

Imagem
Imagem





mede 19 mm, e pesa 3,7 gr



Avatar do Utilizador
doliveirarod
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 15685
Registado: terça nov 09, 2004 2:50 am
Localização: Brasil

#2 Mensagem por doliveirarod » sábado abr 09, 2005 10:46 pm

Uma beleza!
É um denário da república romana, do séc. I antes de Cristo. É "serrilhado".
No reverso traz a deusa Vitória na biga. Ao que parece a família emissora é a família Cornélia.
No verso a cabeça de Minerva.
Essa é boa até demais qto a autenticidade!
http://www.megaleiloes.com/leiloes.php? ... liveirarod ML - http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_14426169
"O colecionador é um homem mais feliz"
DIGA "NÃO" ÀS FALSIFICAÇÕES CHINESAS - Não colabore com mercado criminoso

fzpinto
Reinado D.Luís
Mensagens: 154
Registado: sexta nov 05, 2004 11:01 pm

#3 Mensagem por fzpinto » sábado abr 09, 2005 11:09 pm

olá doliveirarod,sem duvida nenhuma que sao uma beleza
tenho muitas mais,vou metendo pouco a pouco as fotos
muito obrigado pela sua atençao
Última edição por fzpinto em domingo abr 10, 2005 8:10 am, editado 1 vez no total.

MCarvalho
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 8382
Registado: sexta nov 05, 2004 9:55 pm

#4 Mensagem por MCarvalho » domingo abr 10, 2005 1:26 am

A moeda é muito boa mesmo e tem uma grande história por trás.
Estive a escrevê-la, mas por burrice perdi o texto....

Mas posso provar que a moeda não é da família Cosconia (podia ser, mas não é).

É de outra famíla e não foi cunhada em Roma.
MCarvalho

MCarvalho
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 8382
Registado: sexta nov 05, 2004 9:55 pm

#5 Mensagem por MCarvalho » domingo abr 10, 2005 12:56 pm

Mesmo que ninguém queira saber, aqui vão as razões porque é que este denário não é da família Cosconia, mas sim de outra família.

A legenda do anverso, não deixa dúvidas, o homem que emitiu a moeda não pertencia à família Cosconia, mas sim à família Poblicia.

Para isso é preciso ler a legenda, nestas moedas a leitura ainda é primitiva, faz-se no sentido oposto ao ponteiro do relógio:

C. MA L LE .C.F. X, ou seja: Caius Malleolus, Caii Fillius, e quer dizer Caius Malleolus, filho de Caius.

Ora, este Caius era da família Poblicia, o nome completo era Caius Publicius Malleolus.
No reverso, a legenda é um pouco mais difícil de ler, mas chega-se lá.

L.LC.CN.DOM, que são dois nomes distintos:

Lucius Liciniuse Cnaeus Domitius, nada mais nada menos que os cônsules Lucius Licinius Crassus e Cnaeus Domitus Ahenobarbus, os responsáveis pela administração da província Narbonense, no sul da Gáila no final do século II a.C. (entre 121 e 108 aproximadamente).

Não nos podemos esquecer, que nesse altura, o Império era ainda muito frágil e relativamente pequeno, a própria Gália estava por dominar (só em 49 a.C. é que Júlio César dominou toda a Gália), o sul era uma espécie de base romana, por onde se tentava controlar o resto da Gália, para organizar a região, os cônsules que referi e que aparecem no reverso deste denário (Lucius Licinius Crassus e Cnaeus Domitus Ahenobarbus) nomearam 5 homens para cunhar moeda e controlar a economia em Narbo Martius, capital da Narbonense. Um desses 5 homens era Caius Publicius Malleolus, o autor desta moeda e membro da família Poblicia.

Um outro, foi realmente Lucius Cosconios, da família Cosconia, e cunhou na mesma cidade e na mesma época moedas semelhantes, mas essas apresentam o nome de Cosconios e não de Caius Malleolus, daí talvez a confusão na referência.

A título de curiosidade, e porque estas coisas têm todas sentido, a palavra publicidade, que nós usamos hoje tem como raiz etimológica o nome deste próprio Caius Publicius Malleolus, e porquê?

Porque durante as suas campanhas para o Senado, ele (e a família) foram dos primeiros a usar técnicas de divulgação do seu nome em pinturas na parede, patrocínio de jogos, etc., foi dos primeiros patrícios a fazer publicidade, o nome da família ficou então associado a essa técnica de venda e ainda hoje, ao fim de 2100 anos permanece com o mesmo significado, mesmo que praticamente o mundo inteiro ignore essas coisas. Seria interessante se hoje, quando estamos a ver ou a fazer publicidade, nos lembrássemos de Caius Publicius Malleolus, enviado e representante de Roma no sul da Gália e futuro Senador.

Posto isto está tudo explicado. Tudo? Não, ainda falta um pormenor, uma inicial que eu transcrevi na legenda, mas não disse nada sobre ela. Vamos ver se alguém prestou atenção ao que escrevi e à moeda e descobre aquilo que estou a falar…
MCarvalho

fzpinto
Reinado D.Luís
Mensagens: 154
Registado: sexta nov 05, 2004 11:01 pm

#6 Mensagem por fzpinto » domingo abr 10, 2005 1:13 pm

olá mcarvalho,bom trabalho,mas a legenda nao é:L.LC.CN.DOM,mas sim , L.LIC.CN.DOM,espero ter ajudado


estao a gostar das moedas?

MCarvalho
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 8382
Registado: sexta nov 05, 2004 9:55 pm

#7 Mensagem por MCarvalho » domingo abr 10, 2005 2:23 pm

As moedas são espectaculares.

De facto é LIC (de Licinius) o tal cônsul. Falta ainda é uma letra que não falei propositadamente... é uma espécie de jogo.
MCarvalho

outsidernone
Senhor Escudo da I República
Mensagens: 46
Registado: domingo nov 14, 2004 11:04 pm
Localização: Costa Caparica

#8 Mensagem por outsidernone » domingo abr 10, 2005 11:31 pm

Falta Falar da Letra X
:)

A letra X por tras da busto representa o valor da moeda neste caso 10 asses?

Penso que como muito do povo romano nesta altura ainda era um pouco bronco e havia muitas moedas iguais a pequena marca X servia para distinguirem o valor das moeditas.

Penso eu de que.... :?:
Bruno Miguel Ribeiro

MCarvalho
Reinado D.Afonso Henriques
Mensagens: 8382
Registado: sexta nov 05, 2004 9:55 pm

#9 Mensagem por MCarvalho » segunda abr 11, 2005 12:45 am

Grande Bruno! Alguém tinha que reparar no X.

É claro que o X é o 10 romano, a moeda valia, nesta altura, 10 asses e estava lá marcado (não para o povo bronco ou houvesse muitas moedas semelhantes, mas para deixar as coisas claras).

Nesta moeda, o X tem um valor ainda maior, porque nos ajuda na datação.

Em 121 a.C. Graco reformou o sistema monetário e os denários passaram a valer 16 asses (e foi assim até deixar de haver denários); ora, esta moeda, sendo cunhada fora de Roma, em Narbo Martius (fundada em 122) ainda apresenta o valor antigo, mas não ser muito posterior a 122/121 a.C., os especialistas dizem que deve andar à volta de 118.

Por outro lado, os denários de Narbo Martius posteriores, como o de Lucius Cosconios, já tem o valor 16 (é um anagrama de X+V+I, o que dá uma espécie de X cortado ao meio). Esses sim, serão já de 109 ou 108.
MCarvalho

Responder

Voltar para “Romanas”